NFS-e: tudo sobre a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica

A NFS-e facilita a emissão de notas fiscais de serviços na era digital. Aprenda a emitir as suas com nosso guia completo.

A NFS-e, a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica, é a versão digital da nota fiscal de serviços que veio para facilitar a vida dos empresários — especialmente das micro e pequenas empresas.

Hoje, qualquer empreendedor pode formalizar sua prestação de serviços em um processo 100% online, prático e econômico, sem precisar lidar com os antigos talões de notas. 

Mas, como a nota fiscal de serviços eletrônica possui regras diferentes em cada prefeitura, é normal ter várias dúvidas sobre sua emissão.

Emita notas fiscais em poucos cliques  Na Conta Azul Pro, você emite NFe, NFSe e NFCe conectado ao seu financeiro. Experimente grátis  Não precisa de cartão, nem de cadastros complexos

Por isso, preparamos um guia completo com tudo o que o empresário de serviços precisa saber para emitir sua NFS-e com precisão e segurança, dividido nos seguintes tópicos:

Pronto para tirar todas as suas dúvidas sobre nota fiscal de serviços eletrônica?

Então, leia até o fim e saiba como formalizar suas vendas. 

O que é NFS-e?

NFS-e, ou nota fiscal de serviços eletrônica, é a nota digital usada para registrar e comprovar as operações de prestação de serviços.

Ela substitui as antigas notas impressas e sua emissão é obrigatória em todas as vendas de empresas prestadoras de serviços que pagam ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza).

Por se tratar de um imposto arrecadado pelos municípios, a NFS-e deve ser emitida por meio da prefeitura da sua cidade, utilizando um software emissor integrado ao sistema do governo — com exceção do Distrito Federal, onde a nota fiscal de serviços é de competência da Secretaria da Fazenda do estado.

O Projeto NFS-e começou em 2007, desenvolvido pela Receita Federal em parceria com a Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais (Abrasf), com o objetivo de agilizar a emissão de nota fiscal de serviços e facilitar a fiscalização no país. 

Para os empresários de serviços, a nota digital representou um grande avanço, capaz de agilizar a gestão tributária, reduzir custos e melhorar o controle financeiro do negócio. 

De lá para cá, mais de 500 prefeituras já se adequaram à NFS-e e a tendência é que as notas em papel desapareçam de vez, já que o uso dos arquivos digitais é mais econômico, prático e seguro para todos. 

Quem é obrigado a emitir a NFS-e?

Em tese, toda pessoa jurídica que presta serviços sujeitos à cobrança do ISSQN deve emitir a NFS-e, pois se trata de uma obrigação acessória

Assim, se você não emitir a nota a cada serviço prestado, pode cometer o crime de sonegação fiscal e acabar sendo multado

No entanto, é a própria prefeitura que decide quais serviços são tributados e exigem a nota fiscal eletrônica, por meio da legislação municipal. 

Além disso, a emissão de notas fiscais eletrônicas ainda não é universal no país (há municípios que ainda aceitam os antigos talões) e as regras de obrigatoriedade são diferentes em cada cidade.

Uma exceção comum é o MEI (Microempreendedor Individual), para quem a emissão de NFS-e costuma ser facultativa para serviços prestados à pessoa física — se forem prestados para a pessoa jurídica, a nota digital se torna obrigatória.

Transforme a gestão da sua empresa de serviço  A Conta Azul Pro é perfeita para seu segmento. Tem tudo em um só lugar. Experimente grátis  Não precisa de cartão, nem de cadastros complexos

Para entender melhor essas diferenças nacionais, vamos analisar a legislação de algumas capitais:

Obrigatoriedade em São Paulo

No programa Nota do Milhão da prefeitura de São Paulo, por exemplo, todos os prestadores de serviços são obrigados a emitir a NFS-e independentemente da receita bruta, com exceção dos seguintes casos:

  • Microempreendedores Individuais (MEIs)
  • Profissionais liberais e autônomos
  • Sociedade constituídas na forma do artigo 15 da Lei nº 13.701/2003 (aquelas cujos profissionais são habilitados ao exercício da mesma atividade e prestam serviços de forma pessoal, em nome da sociedade, assumindo responsabilidade pessoal, nos termos da legislação específica)
  • Instituições financeiras e demais entidades obrigadas à entrega da Declaração de Instituições Financeiras – DIF
  • Os prestadores de serviços enquadrados exclusivamente em um ou mais dos seguintes códigos de serviço: 01481, 02330, 08052, 08079, 08087, 08095, 08117, 08133, 08168, 08176, 08192, 08206, 08214, 08257, 08273, 08274, 08281, 08290 (códigos podem ser consultados neste link). 

Ainda assim, esses prestadores podem solicitar a permissão para emitir NFS-e por vontade própria, para facilitar sua gestão. 

Na lista de obrigatoriedade da nota fiscal estão serviços de informática, assistência médica, beleza, engenharia, limpeza, turismo e entretenimento, por exemplo. 

Obrigatoriedade no Rio de Janeiro

No programa Nota Carioca da cidade do Rio de Janeiro, todo os prestadores listados na Resolução SMF nº 2.816/2010 estão obrigados a emitir NFS-e, com exceção de:

  • MEIs e profissionais autônomos
  • Prestadores dos serviços de registros públicos, cartorários e notariais;
  • Leiloeiros
  • Corretoras de seguros, quanto aos serviços de corretagem prestados a seguradoras estabelecidas no Município
  • Prestadores que emitem NFS-e em regime especial, como empresas de transporte público, exploração de rodovias e competições esportivas. 

Obrigatoriedade em Curitiba

No programa Nota Curitibana da cidade de Curitiba, todos os prestadores de serviços são obrigados a emitir a NFS-e desde 2015, com exceção de:

  • MEIs
  • Concessionários de serviço público de telefonia, energia elétrica, água e esgoto
  • Estabelecimentos bancários oficiais e privados
  • Cooperativas de crédito e distribuidoras de valores mobiliários
  • Registros públicos cartorários e notariais.

Antes disso, somente as empresas de serviços com receita bruta anual igual ou superior a R$ 240 mil eram obrigadas a emitir o documento. 

Diferença entre NFS-e, NF-e e NFC-e

Existem vários tipos de notas fiscais, mas as mais utilizadas são a NFS-e, NF-e e NFC-e

Confira as diferenças entre elas:

  • NFS-e (nota fiscal de serviços eletrônica): é a nota fiscal digital que registra operações de prestação de serviços sujeitas ao ISSQN , vinculada à prefeitura do município.
  • NF-e (nota fiscal eletrônica): é a nota fiscal digital que registra operações de venda de produtos sujeitas ao Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e Imposto de Mercadorias e Serviços (ICMS), vinculada à Secretaria da Fazenda do estado
  • NFC-e (nota fiscal de consumidor eletrônica): é a nota fiscal digital que comprova a operação de venda presencial de produtos ou entrega em domicílio ao consumidor no comércio varejista (substitui o cupom fiscal), vinculada à Secretaria da Fazenda do estado. 

Logo, podemos dizer que a NFS-e é a nota de serviços, a NF-e é a nota de produto e a NFC-e é a nota do consumidor.

Se a empresa vende produtos ao consumidor final e presta serviços ao mesmo tempo, ela pode emitir qualquer um desses tipos de nota fiscal eletrônica. 

Emita notas fiscais em poucos cliques  Na Conta Azul Pro, você emite NFe, NFSe e NFCe conectado ao seu financeiro. Experimente grátis  Não precisa de cartão, nem de cadastros complexos

Em uma assistência técnica de computadores, por exemplo, deve ser emitida uma NF-e quando são vendidas as peças e acessórios para os eletrônicos. Já revisões, consertos ou ajustes devem ser registradas por meio de uma NFS-e.

Para mais detalhes, confira nosso artigo sobre a diferença entre NF-e e NFS-e.

Como a nota fiscal de serviços eletrônica é emitida

A nota fiscal de serviços eletrônica é lançada 100% online, utilizando o sistema disponibilizado pela prefeitura da sua cidade ou um software emissor próprio via webservice do município. 

O formato do arquivo da nota fiscal é o XML, que segue o padrão brasileiro de escrituração fiscal e pode ser convertido facilmente em PDF.

Para começar a emitir NFS-e, você precisa de uma autorização da prefeitura (cadastro fiscal) e um certificado digital, que veremos em detalhes mais adiante.

Depois de receber a autorização, basta acessar o sistema com seu certificado ou senha web fornecida pelo município e preencher a nota fiscal de serviços eletrônica online.

O documento deverá conter a descrição dos serviços prestados e só pode ser emitido quando a atividade for finalizada.

De modo geral, as legislações municipais contêm pequenas diferenças entre si em relação à identificação dos serviços. Em algumas cidades, é possível descrever vários serviços em uma mesma NFS-e, desde que estejam direcionadas ao mesmo tomador de serviço.

Já no caso de atividades da construção civil, por exemplo, as NFS-e deverão ser emitidas por obra.

Da mesma forma, se a empresa prestar vários tipos de serviços, será preciso emitir notas fiscais separadas com o respectivo código da atividade.

Além disso, é importante saber que a nota fiscal de serviços eletrônica pode ser vinculada a um Recibo Provisório de Serviços (RPS).

O que é Recibo Provisório de Serviços (RPS) e para que serve?

O Recibo Provisório de Serviços (RPS) é um documento temporário que pode ser preenchido manualmente quando não for possível emitir a NFS-e.

Seu objetivo é evitar que a empresa tenha que pagar juros ou multas por não emitir a nota fiscal na data correta. 

Por isso, ele deve ser usado apenas em casos emergenciais, por exemplo:

  • Quando o sistema da prefeitura está instável ou fora do ar
  • Quando a empresa fica sem conexão 
  • Quando a empresa não dispõe de infraestrutura de conectividade com a secretaria em tempo integral.

Nessas situações, o RPS substitui a nota fiscal de serviços temporariamente, mas deve ser convertido em NFS-e dentro do prazo estabelecido pela prefeitura (normalmente, cerca de 10 dias).

Cada município tem um padrão de RPS, que deve ser solicitado diretamente na prefeitura, e também há lugares em que o uso do recibo provisório não é permitido (somente a emissão direta da NFS-e). 

No entanto, a maioria das prefeituras que oferece emissão automática da NFS-e exige o envio do RPS antes de gerar o comprovante final, convertendo o recibo em nota fiscal após a solicitação da empresa. 

Para saber como emitir esse documento, confira nosso artigo completo sobre Recibo Provisório de Serviços

Benefícios da nota fiscal eletrônica de serviços

A NFS-e traz vários benefícios para empresas, consumidores, governo e a própria sociedade.

Confira algumas das principais vantagens.

Simplificação dos processos tributários

Um dos grandes méritos da nota fiscal de serviços eletrônica é a simplificação dos processos tributários.

Para o empreendedor, é muito mais fácil gerar e armazenar os documentos no formato digital, poder consultá-los a qualquer momento e agilizar suas obrigações acessórias com o Fisco.

Transforme a gestão da sua empresa de serviço  A Conta Azul Pro é perfeita para seu segmento. Tem tudo em um só lugar. Experimente grátis  Não precisa de cartão, nem de cadastros complexos

Já o governo consegue fiscalizar mais facilmente as notas fiscais eletrônicas e combater a sonegação de impostos

Redução de custos

A redução de custos é outro diferencial importante da NFS-e para o prestador de serviços. 

Para começar, você economiza com o armazenamento das notas fiscais, já que não será preciso arquivar todos os documentos físicos por 5 anos (prazo indicado pela Receita Federal).

Além disso, cai drasticamente o gasto com papel e suprimentos de impressora, e também o custo administrativo para organizar a papelada. 

Mais agilidade no acesso às informações

A NFS-e também torna os processos mais ágeis dentro da empresa, pois as informações ficam disponíveis online para consulta a qualquer hora e lugar.

Além da emissão rápida das notas fiscais, você ganha tempo na consulta de informações e nem precisa se preocupar com o arquivamento.

Lembrando que o tomador de serviços também pode acessar e importar rapidamente as NFS-es emitidas contra seu CNPJ

Melhora no controle financeiro e fiscal

Outro benefício é poder utilizar o relatório de NFS-es emitidas para conferir os tributos cobrados, faturamento, valores das transações e dados de clientes, por exemplo.

Dessa forma, você melhora seu controle financeiro e fiscal, reduz o tempo gasto com a gestão tributária e elimina erros de digitação no processo. 

Possibilidade de automação 

Com a NFS-e, você pode utilizar soluções tecnológicas que automatizam a emissão e recebimento de notas fiscais de serviços.

Assim, você elimina a redigitação, reduz o trabalho manual e libera tempo dos colaboradores para se dedicar às tarefas mais importantes do negócio — aquelas focadas no seu crescimento. 

Mais segurança e transparência

A nota fiscal de serviços eletrônica também é muito mais segura, pois os arquivos ficam armazenados online no sistema da prefeitura.

Dessa forma, você não corre o risco de ter prejuízos com extravio, perda e danos aos documentos fiscais.

Para o município, é uma forma de fortalecer o controle, apuração e fiscalização com total transparência.

Como funciona a retenção de impostos na NFS-e

Alguns serviços estão sujeitos à retenção de ISS na fonte, dependendo da legislação do município.

Nesse caso, é preciso aplicar o desconto relativo ao imposto devido, que varia conforme as alíquotas determinadas pela prefeitura.

Na prática, em razão da antecipação de recolhimento, sua empresa não receberá o valor total acertado no orçamento ou na venda com o cliente, pois do seu pagamento serão descontados os percentuais relativos aos impostos aplicáveis.

A responsabilidade pelo recolhimento dos impostos retidos, todavia, será da pessoa jurídica contratante do serviço, visto o recolhimento a menor do valor total cobrado pelo prestador do serviço.

Lembrando que a prefeitura pode exigir a antecipação do recolhimento do ISS de empresas optantes do Simples Nacional.

Saiba todos os detalhes no artigo sobre retenção de impostos na nota fiscal de serviços e de produtos.

Simplifique a gestão financeira da sua empresa  Controle as finanças online e em poucos cliques na Conta Azul Pro. Experimente grátis  Não precisa de cartão, nem de cadastros complexos

Como emitir nota fiscal de serviços eletrônica em 5 passos

Agora que você sabe tudo sobre NFS-e, fica mais fácil aprender como emitir nota fiscal de serviços eletrônica na prática. 

Siga o passo a passo abaixo.

1. Faça seu cadastro na prefeitura

O primeiro passo para emitir NFS-e é fazer seu cadastro pelo site da prefeitura da sua cidade.

Nessa primeira etapa, você deve preencher os dados da sua empresa online e depois comparecer à prefeitura (geralmente, à Secretaria Municipal da Fazenda) para confirmar os dados e solicitar sua senha de acesso ao sistema de nota fiscal.

Cada município tem um processo de credenciamento, mas todos exigem os seguintes documentos:

  • Protocolo de solicitação de credenciamento para obtenção da senha de acesso
  • Via original do CPF
  • Documento de identificação do representante legal e dos atos constitutivos da pessoa jurídica.

A dica é conferir a página de “perguntas frequentes” da prefeitura, que sempre traz todas as respostas que você precisa sobre o cadastro de empresas para emitir NFS-e.  

2. Desbloqueie sua Senha Web

Se sua empresa passar pela análise de documentos (que pode levar até 15 dias) e não houver nenhuma pendência, sua Senha Web será desbloqueada.

Essa senha de acesso chega no seu e-mail e permite que você faça o primeiro login no sistema de geração de notas da prefeitura.

Mas atenção: empresas optantes do Lucro Presumido ou Lucro Real não conseguem emitir NFS-e com a Senha Web, pois são obrigadas a adquirir o certificado digital.

Esse documento digital funciona como uma assinatura online para pessoas jurídicas, e permite a realização de transações online com garantia de autenticidade.

Além disso, não são todas as prefeituras que permitem a emissão de NFS-e apenas com a Senha Web para empresas do Simples Nacional — daí a importância de consultar seu contador sobre a legislação local. 

Se o certificado digital for obrigatório na sua cidade, você deverá adquiri-lo junto a uma Autoridade Certificadora credenciada pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP), como a Caixa Econômica Federal, Serasa Experian e Receita Federal do Brasil.

No site da ICP-Brasil, você encontra uma lista completa e atualizada das empresas autorizadas a comercializar o certificado digital, que pode ser do tipo “NF-e” ou “e-CNPJ” para emissão de notas fiscais eletrônicas. 

Hoje, os micro e pequenos empreendedores optantes pelo Simples pode emitir NFS-e tranquilamente somente com a Senha Web em cidades como São Paulo (SP), Florianópolis (SC), João Pessoa (PB).

3. Acesse o sistema da prefeitura

O próximo passo é acessar o sistema de geração de nota fiscal da prefeitura com sua Senha Web ou certificado digital. 

Nesse primeiro acesso, é importante verificar se todos os seus dados estão corretos, como: inscrição municipal, CNPJ, razão social, regime de tributação da empresa e atividades.

Você também terá a opção de acrescentar informações como site, resumo, e-mail e logomarca para deixar seu cadastro mais completo. 

4. Preencha a NFS-e

Depois de acessar o sistema da prefeitura, você já pode começar a preencher sua primeira NFS-e. 

É só seguir estes passos:

Determine o método de emissão

Inicialmente, o emissor da nota fiscal deverá escolher o método de emissão: intermediação, para o qual se indica o CNPJ da empresa que está fazendo a intermediação do serviço prestado; ou substituição, quando se aponta o CNPJ do tomador e número da nota a ser substituída e o sistema automaticamente exibe o nome para conferência. 

Transforme a gestão da sua empresa de serviço  A Conta Azul Pro é perfeita para seu segmento. Tem tudo em um só lugar. Experimente grátis  Não precisa de cartão, nem de cadastros complexos

Caso nenhuma das opções seja selecionada, será gerada uma nota fiscal de serviços eletrônica comum.

Informe os dados do prestador e tomador de serviços

O próximo passo é preencher os dados do prestador e tomador de serviços.

Em alguns casos, os dados da empresa prestadora de serviços já vêm preenchidos, sendo necessário apenas preencher informações como CNPJ, razão social e endereço do tomador.

Selecione a tributação

Você também terá que selecionar a tributação aplicada aos serviços prestados.

Geralmente, as opções são “normal” para tributação pelo ISS, imune ou suspenso por decisão judicial.

Informe os detalhes do serviço

Nas telas a seguir, você terá que informar os detalhes comuns de uma nota fiscal de serviços, tais como:

  • Códigos dos serviços prestados conforme a classificação do município
  • Cadastro opcional do INSS para deduções de mão de obra
  • ISS retido pelo tomador
  • Valor total da nota e valor das deduções
  • Discriminação dos serviços, horas de trabalho e seus respectivos valores.

5. Gere sua primeira NFS-e

Depois de terminar o preenchimento, basta clicar em emitir ou gerar a NFS-e.

Nesse momento, o sistema envia um e-mail de aviso com o endereço de acesso da nota, e você também tem as opções de encaminhar automaticamente para o e-mail do tomador cadastrado, baixar ou imprimir o arquivo.  

Vale lembrar também que após o envio da NFS-e, ela fica registrada no sistema para consulta, se necessário, e para cancelamento caso seja identificado algum erro.

Perguntas e respostas sobre NFS-e

Para fechar, vamos listar algumas perguntas frequentes sobre NFS-e para tirar suas dúvidas.

Confira nosso FAQ.

O talão de nota fiscal de serviços ainda é válido?

Sim, em algumas cidades ainda é possível utilizar os antigos talões de notas fiscais convencionais de serviços.

Em alguns casos, eles podem ser usados como substitutos do RPS, mas a tendência é que sejam inutilizadas em breve — e as próprias prefeituras recomendam a migração para a versão eletrônica mesmo quando não obrigatória. 

O MEI pode emitir NFS-e?

Sim, tanto o MEI quanto profissionais autônomos podem emitir NFS-e fazendo o cadastro junto à prefeitura.

Para saber como funciona o processo, leia nosso guia para tirar NFS-e nessas condições. 

É possível emitir NFS-e sem empresa aberta?

Sim, desde que sejam notas fiscais de serviços emitidas por autônomos e microempreendedores.

Aproveite e veja como emitir nota fiscal sem empresa aberta.

Dá para cancelar uma NFS-e?

A NFS-e pode ser cancelada enquanto o ISS não for recolhido, desde que não tenham se passado mais de 6 meses a partir de sua emissão. 

Após o recolhimento do imposto, a NFS-e somente poderá ser cancelada por meio de processo administrativo — consulte seu contador para saber como funciona no seu município. 

Existe uma NFS-e nacional?

Existe um projeto em tramitação (Projeto de Lei 521/2018) que propõe a padronização da emissão de NFS-e para todo o Brasil.

Se o projeto for aprovado, as prefeituras deverão documentar as operações de prestações de serviços sob um modelo nacional e único.

Nós já falamos sobre isso em um artigo exclusivo sobre a NFS-e Nacional

Posso usar um software emissor para emitir NFS-e?

Com certeza. Não é obrigatório utilizar o sistema de emissão da prefeitura, que tem várias limitações e muitas vezes não facilita a gestão das notas fiscais da sua empresa.

Felizmente, você tem opções mais eficientes como a plataforma da Conta Azul para emitir suas notas fiscais de serviços eletrônicas de forma integrada com o controle financeiro e de vendas da sua empresa.

Como emitir NFS-e de forma inteligente com a Conta Azul

A Conta Azul tem a solução ideal para você emitir notas fiscais de serviços eletrônicas com muito mais rapidez e praticidade.

Em vez de usar o sistema limitado da prefeitura, você pode utilizar nosso recurso de Geração de NFS-e em uma plataforma 100% online, segura e feita sob medida para a gestão de pequenas empresas.

Nosso sistema já está homologado em mais de 600 prefeituras do Brasil (confira as cidades aqui), permitindo que você emita suas notas fiscais a partir dos dados cadastrados no seu sistema de gestão.

Uma das grandes vantagens de usar a Conta Azul é que as vendas, contas a receber e fluxo de caixa lançados no sistema são atualizados automaticamente com a emissão da nova nota, além de o emissor de NFS-e ser totalmente integrado com as novas vendas. 

Ou seja: você nunca mais vai precisar informar dados de uma venda duas vezes, ganhando muito mais produtividade a agilidade nas rotinas.

Além disso, a cada confirmação de pedido, a Conta Azul alimenta seu financeiro e fluxo de caixa para a data prevista de recebimento. 

Emita notas fiscais em poucos cliques  Na Conta Azul Pro, você emite NFe, NFSe e NFCe conectado ao seu financeiro. Experimente grátis  Não precisa de cartão, nem de cadastros complexos

Para completar, o envio de documentos ao contador também é mais ágil e preciso, para quem usa a integração com a contabilidade.

Gostou de aprender tudo sobre NFS-e e ainda conhecer uma solução diferenciada para emissão?

Então, deixe seu comentário contando quais dúvidas tirou e aproveite para compartilhar o texto com outros empreendedores.

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?

 
<https://cta-service-cms2.hubspot.com/ctas/v2/public/cs/c/?cta_guid=50ebdc92-329a-40a1-9caf-fa81543a8adc&placement_guid=2fe57723-5fb5-47c5-b9eb-e06d10883d31&portal_id=652034&redirect_url=APefjpH-sJodulB40LkLn3KOdjabGsRQrvD-UzG_-mxgFGYOQY7Pax91wMczwqC9tjy6OjwX00HU_Bo7PUPMr5BIKOv40gMMcHS86PIGVrS7qRooJBOJ-7oexC4LmqeY82ilgISiw_vgWj_M6UrXXz1MrtJWPp1fCkV3L8k9Z1TtKD_8zvHbHbmBJ-eUK8zfoV_QfTmHP_eg4dFVeSu30yynTNlUDR2aWCt8pi1edP5oHylON5s64GfVFnCwR305nirbsqyzLULbK7y2JSzUtMlN7fQ4XNMBWGbmU8axTsYxArQmFT5Bef95SSu6-RPgLNW5AplENu_zmV3QuRJ6K_Gd5RpBPj09UQ&hsutk=69c6ede4c71301f633be694182efeb4b&canon=https%3A%2F%2Fblog.contaazul.com%2Fo-que-e-pro-labore-ab&click=2a99f1b9-eb95-4503-bbbb-7be3d73be873&pageId=5442744710&__hstc=99675841.69c6ede4c71301f633be694182efeb4b.1512590389679.1512590389679.1512647250062.2&__hssc=99675841.7.1512647250062&__hsfp=1187972499>  <https://experimente.contaazul.com/controle-financeiro/>   ContaAzul é o sistema de gestão online  para você organizar sua empresa   <https://experimente.contaazul.com/controle-financeiro/>  Quero Saber Mais  <https://experimente.contaazul.com/controle-financeiro/>   Experimente Grátis <https://contaazul.com/cadastro/>