E-commerce

Vendas online: como funcionam, vantagens e por que investir

Equipe Conta Azul Equipe Conta Azul | Atualizado em: 26/01/2024 | 13 mins de leitura

Sobre o que estamos falando?

  • As vendas online se tornaram parte da rotina do consumidor e estão em constante crescimento;
  • Para aproveitar essa oportunidade, as empresas devem se preparar para vender pela internet e fortalecer a presença no ambiente virtual;
  • Veja como preparar a loja física para as vendas online e cinco dicas para abrir seu negócio e começar a vender pela internet.

Experimente grátis a Conta Azul!

 

As vendas online não param de crescer e criar novas oportunidades para os empreendedores brasileiros. Se antes existia uma certa desconfiança em comprar pela internet, hoje essa modalidade está entre as preferidas do país e já conquistou milhões de consumidores.

Com a transformação digital acelerada, a tendência é que o e-commerce se fortaleça ainda mais e as empresas migrem seus pontos de venda para a web.Se você também quer aproveitar esse cenário e aprender como vender pela internet, comece pelo nosso guia de vendas online:


CAPÍTULO 1

O que são vendas online?

Vendas online são transações comerciais feitas pela internet, ou seja, produtos e serviços vendidos e entregues sem nenhum contato presencial com o consumidor.

Nessa modalidade, o cliente acessa a loja virtual da empresa por meio do navegador ou aplicativo, coloca os itens no carrinho de compras, faz o pagamento online e recebe os produtos em casa — ou tem a opção de retirá-los na loja, em alguns casos. Já em serviços, é comum o cliente requisitar um orçamento, negociando as condições do serviço a ser prestado.

Ou seja: é um modelo de negócio totalmente diferente das tradicionais lojas físicas do atacado e varejo.

Quem decide abrir uma loja online é denominado empreendedor digital, e tem desafios e oportunidades únicas para operar seu negócio no dia a dia.

No início, o e-commerce enfrentou obstáculos como a falta de confiança dos consumidores e a própria dificuldade de acesso à internet no Brasil, além das questões logísticas.

Mas, felizmente, o avanço da tecnologia e a digitalização contínua deixaram esses tempos para trás e abriram caminho para um futuro promissor das vendas online.

CAPÍTULO 2

Origem e evolução das vendas online

As primeiras lojas 100% online surgiram nos anos 1990, como as gigantes Amazon e eBay (ambas fundadas em 1995).

Mas as compras pela internet ainda demoraram décadas para se popularizar, devido à desconfiança do consumidor, dificuldades logísticas e problemas de segurança.

Para você ter uma ideia, a Amazon, que hoje é conhecida como o maior e mais valioso e-commerce do mundo, só começou a ter lucro a partir de 2003 e passou a registrar um crescimento expressivo a partir de 2015.

No Brasil, as vendas online cresceram gradualmente e acompanharam o ritmo da inclusão digital — em 2014, eram 18,9 milhões de e-shoppers recorrentes, e em 2020 são 41 milhões, segundo dados do relatório Webshoppers nº 42 publicado pela Ebit|Nielsen.

Hoje, as pessoas se sentem mais seguras para comprar pela internet e as empresas estão mais preparadas para vender online, criando a combinação perfeita para o crescimento do setor.

CAPÍTULO 3

Panorama das vendas online no Brasil

As vendas online no Brasil vêm crescendo sem parar desde 2006 e parecem ter decolado de vez em 2020.

De acordo com a 42ª edição do relatório Webshoppers, o e-commerce bateu seu recorde de faturamento dos últimos 20 anos no primeiro semestre de 2020: R$ 38,8 bilhões.

O número representa um crescimento de 47% em relação ao faturamento do primeiro semestre de 2019.

Ao todo, foram 90,8 milhões de pedidos online (39% a mais que em 2019) e um ticket médio de R$ 427,00 (6% a mais que em 2019).

Os principais segmentos que cresceram no país, tanto em produtos como serviços, foram:

  • Informática (alta de 101%)
  • Construção e ferramentas (alta de 100%)
  • Lojas online de departamento (alta de 90%)
  • Artigos esportivos (alta de 63%)
  • Perfumaria (alta de 51%)
  • Farmácia (alta de 42%)
  • Casa e decoração (alta de 33%)
  • Roupas/calçados (alta de 32%)
  • Supermercados (alta de 18%).

Outro dado importante é que o mercado online ganhou 16,4 milhões de novos e-shoppers (compradores online), incrementando seu público em 40%.

Além disso, a pandemia do coronavírus foi um grande catalisador das vendas online, que tiveram um salto expressivo a partir de abril de 2020.

CAPÍTULO 4

O boom das vendas online na pandemia

A pandemia atingiu em cheio vários setores econômicos, mas acabou alavancando as vendas online ao acelerar o processo de transformação digital.

Com a necessidade de isolamento durante a quarentena e o receio de comprar em lojas físicas, os consumidores aderiram em massa às compras pela internet — principalmente via aplicativos.

Segundo uma pesquisa feita pela ABComm e publicada na Istoé, o número de lojas online abertas cresceu 400% durante a quarentena, e mais de 100 mil lojas físicas começaram a vender pela internet para sobreviver.

No relatório Webshoppers, o crescimento do e-commerce se intensifica a partir de abril de 2020, saltando de 19% nas semanas pré-pandemia para 70% durante a quarentena.

Esse salto ficou claro no aumento das vendas nas principais datas comemorativas, como Dia das Mães (alta de 68%) e Dia dos Namorados (alta de 91%).

Ao todo, as lojas online faturaram mais de R$ 33 bilhões somente durante a quarentena (segundo trimestre de 2020), de acordo com um levantamento da empresa de inteligência Neotrust/Compre&Confie publicado na Exame.

Outro ponto de destaque do relatório é a chegada dos novos e-shoppers: 24% dos consumidores fizeram compras online pela primeira vez durante a pandemia.

Além disso, o e-commerce chegou a um marco histórico de participação nas vendas do varejo: 13%, em comparação com os 5% pré-coronavírus.

Logo, parece que as vendas online vieram para ficar e tendem a se consolidar como uma das principais modalidades do país.

CAPÍTULO 5

5 vantagens das vendas online sobre as vendas offline

Quando comparamos as vendas online com as vendas offline (vendas tradicionais em lojas físicas), é fácil entender por que o modelo tem crescido tanto.

Confira as vantagens do modelo digital.

1. Baixo investimento inicial

Para começar, o empreendedor digital tem a vantagem de começar seu negócio sem precisar alugar e montar um espaço, contratar vendedores ou mesmo manter um estoque.

Isso representa uma grande economia no capital inicial investido na empresa e reduz os riscos para o empresário iniciante.

Então, se sua ideia é abrir um negócio com pouco dinheiro, uma loja online pode ser uma ótima ideia.

2. Maior alcance e disponibilidade

Ao contrário da loja física, que tem uma restrição geográfica para atrair consumidores, a loja online pode ser acessada por consumidores em qualquer lugar do Brasil e do mundo. Hoje, é possível vender pelo Instagram, WhatsApp, website, sites de Marketplace e outros.

Isso possibilita um alcance muito maior e elimina o fator “localização” das suas preocupações.

Além disso, as lojas físicas têm horário de funcionamento, enquanto a loja online fica disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana — e seu cliente pode comprar no meio da madrugada, se quiser.

3. Venda conforme a demanda

Na internet, é possível vender sob demanda, principalmente no caso de produtos mais caros e customizados.

Teoricamente, também há a possibilidade de encomenda nas lojas físicas, mas isso funciona muito melhor online, já que você consegue medir a procura pelos itens e adicionar prazo às entregas.

Dessa forma, você não precisa manter um estoque de alto custo sem saber se o produto terá saída — ou pode até mesmo operar sem estoque, no modelo chamado dropshipping.

4. Aumento nas vendas

A comodidade de poder comprar sem sair de casa e em poucos cliques é irresistível para o consumidor.

Além disso, você tem inúmeras estratégias e ferramentas de marketing digital à disposição para atrair seu público até sua loja online e incentivar a compra.

Por isso, o aumento nas vendas é uma das principais vantagens do e-commerce.

Para completar, os clientes tendem a comprar uma quantidade maior de produtos, já que querem aproveitar ao máximo o frete único.

5.Fortalecimento da presença digital

Para fechar, a empresa que possui e-commerce tem sua presença digital garantida e maior confiabilidade diante dos consumidores.

É claro que essa relevância deve ser reforçada com a produção de conteúdos em blogs e redes sociais, por exemplo, mas a loja virtual por si só transmite grande credibilidade.

Se quiser mais motivos para investir nas vendas online, veja por que a loja virtual é uma boa para começar a empreender.

CAPÍTULO 6

Como preparar a loja física para as vendas online

Se você já possui uma loja física, é relativamente fácil expandir o negócio para as vendas online.

Basicamente, você estará abrindo um novo canal de vendas com enorme potencial, sem precisar começar uma nova empresa — será necessário apenas alterar o registro para incluir as novas atividades.

O processo de escolha da plataforma e lançamento do e-commerce é semelhante ao dos empreendedores iniciantes, mas o empresário que já tem loja física sai na frente por vários motivos:

  • Já possui toda a estrutura necessária (estoque, logística, comercial, atendimento, etc.) para operacionalizar as vendas
  • Tem uma marca conhecida e pode fortalecer sua imagem online
  • Poderá atrair um fluxo maior de clientes para a loja física a partir da virtual
  • Terá mais um canal de venda para oferecer aos clientes e criar ofertas exclusivas, ao melhor estilo omnichannel.

No entanto, é claro que a migração para as vendas online exige a ampliação das atividades e reforço da equipe, já que você precisará cuidar dos pedidos, atendimento, entregas, promoções e todo o processo de um e-commerce.

Além disso, é importante focar na logística para garantir entregas dentro do prazo — um dos fatores-chave para o sucesso de uma loja online.

A seguir, vamos entender melhor como lançar uma loja virtual do zero e esclarecer as principais diferenças em relação à loja física.

CAPÍTULO 7

Como abrir seu negócio de vendas online em 5 passos

As vendas online podem ser a porta de entrada para começar a empreender, e o processo de abertura não é tão complexo.

Acompanhe o passo a passo.

1. Defina o que você vai vender e para quem

O primeiro passo para começar nas vendas online é pensar no que vender e para quem.

Se você já trabalha com algum produto/serviço ou tem afinidade com um segmento específico, é melhor ir por um caminho familiar do que se aventurar em um mercado desconhecido.

Mas atenção: os hábitos do consumidor online são diferentes dos hábitos de clientes de lojas físicas.

Por isso, é importante pesquisar se os produtos tem grande demanda online, visitar sites de concorrentes, acompanhar estudos de mercado e verificar se a sua ideia tem potencial para se tornar um e-commerce de sucesso.

De modo geral, as pequenas lojas virtuais se saem melhor com produtos mais segmentados e públicos-alvo mais específicos, já que não conseguem concorrer com as gigantes do varejo online.

2. Elabore seu plano de negócio

Assim como o negócio físico, a loja online também precisa de um plano de negócio completo, com os seguintes pontos definidos:

  • Portfólio de produtos comercializados (físicos ou digitais)
  • Modelo de negócio (Ex: B2B ou B2C, atacado ou varejo)
  • Perfil do público-alvo e mercado-alvo
  • Criação do nome, marca e identidade da empresa
  • Mapeamento dos concorrentes e estudo do mercado
  • Definição dos processos logísticos
  • Escolha dos fornecedores
  • Definição dos canais de atendimento
  • Estimativa dos custos iniciais
  • Montagem de escritório ou galpão físico (se necessário)
  • Plano de gestão financeira
  • Plano de marketing digital.

Esse roteiro servirá para estruturar o negócio e dar início às atividades com tudo planejado.

3. Escolha uma plataforma

A escolha da plataforma utilizada para as vendas online é decisiva para o sucesso do e-commerce.

Hoje, você tem três principais opções:

Também é possível vender por redes sociais como Facebook e Instagram, mas o mais indicado é ter seu próprio espaço online.

Obviamente, construir um site do zero é bem mais caro — o que faz das plataformas de e-commerce uma boa opção para começar.

4. Formalize seu negócio

As lojas online exigem o processo de formalização e obtenção do CNPJ, da mesma forma que os negócios tradicionais.

Atualmente, elas são regulamentadas pelo Código de Defesa do Consumidor e pelo Decreto nº 7962 de 2013, que estabelecem regras para o funcionamento das lojas virtuais.

Para saber quais são os trâmites burocráticos necessários, consulte seu contador.

5. Cuide da gestão financeira e do estoque

A gestão financeira e controle de estoque são dois pontos críticos para ser bem-sucedido nas vendas online.

Você terá que oferecer formas de pagamento online flexíveis e seguras, emitir nota fiscal eletrônica e controlar de perto o fluxo de caixa da empresa, além de ter uma integração perfeita entre vendas, financeiro e estoque.

Em relação ao estoque, é importante manter o equilíbrio para garantir a disponibilidade dos produtos sem excessos e desperdícios.

Lembrando que a velocidade da entrega é decisiva para a satisfação do cliente, e toda a operação logística deve ser desenvolvida com base na agilidade.

Empreendedor, sabemos que com tantas informações que recebeu neste artigo, deve estar empolgado para colocar em prática. Antes disso, leve nossa Planilha de Vendas: Controle e Acompanhamento para a Empresa.

Leia também