Cobrança e Meios de Pagamento

Pix: tudo o que você precisa saber sobre esse meio de pagamento

Equipe Conta Azul Equipe Conta Azul | Atualizado em: 26/01/2024 | 15 mins de leitura

Sobre o que estamos falando?

  • O Pix é o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, que funciona 24 horas e 7 dias por semana;
  • Seguro e simples de usar, basta utilizar uma chave de identificação única para realizar uma transferência;
  • Já o Pix Cobrança é disponível apenas para as empresas e a maioria das instituições financeiras cobram tarifas baixíssimas pelo uso deste recurso.

Experimente grátis a Conta Azul!

O Pix é um sistema de pagamentos instantâneos lançado em novembro de 2020. Por meio dele, pessoas físicas podem enviar e receber valores, independente da instituição financeira e sem pagar nada por isso.

Já o Pix Cobrança, que entrou em funcionamento em maio de 2021, está disponível apenas para pessoas jurídicas. Ele possui uma série de vantagens em relação às transferências tradicionais e boletos.

Nos dois casos, o dinheiro entra na conta em poucos segundos e a transação pode ser feita todos dias e a qualquer horário.

Para entender mais sobre e tirar todas as suas dúvidas, confira os tópicos do nosso guia completo sobre o assunto: 

pix-tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-esse-novo-meio-de-pagamento-1

O que é Pix?

Como falamos, o Pix é o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC). Inspirado no sistema de Open Banking da Inglaterra, a palavra Pix vem de pixel, que faz alusão à tecnologia. 

Ele não é um software ou aplicativo à parte, mas sim um sistema integrado às contas bancárias e carteiras digitais já existentes, que permite pagamentos mais ágeis e sem burocracia.

Com o Pix, qualquer pessoa ou empresa pode fazer pagamentos e transferências entre contas em até 10 segundos. Outro diferencial é o seu funcionamento 24 horas por dia, 7 dias por semana — incluindo feriados e finais de semana.

Além disso, as transações são gratuitas para pessoas físicas e muito mais baratas para empresas. A ideia é reduzir as tarifas praticadas atualmente pela rede bancária.

Para utilizar o Pix, você só vai precisar ter uma conta em um banco, fintech ou carteira digital participante, pois a função pode ser acessada dentro do próprio app ou sistema da instituição.

Para que serve o Pix

O Pix serve para:

  • Realizar transferências instantâneas entre contas, gratuitas para pessoas físicas e com tarifas baixas para empresas;
  • Pagar contas, faturas e boletos;
  • Pagar compras online e em estabelecimentos físicos; 
  • Recolher impostos e taxas de serviços, como emissão de passaportes por exemplo;
  • Fazer saques na rede varejista.

Quando o Pix foi criado

O Pix foi anunciado em fevereiro de 2020 pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Segundo ele, o sistema começou a funcionar em 3 de novembro, mas de forma restrita – disponível somente para alguns usuários e em horários limitados.

Inclusive, alguns bancos e fintechs se anteciparam e convidaram seus clientes para um pré-cadastro do Pix, preparando as contas para receber a nova tecnologia

Porém, o Pix foi lançado oficialmente no dia 16 de novembro de 2020 em todo o país, com o objetivo de acelerar a digitalização dos pagamentos, reduzir os custos e aumentar a competitividade dos serviços financeiros. 

Por que o Pix foi criado

De forma resumida, estas são algumas das razões da existência do Pix:

  • Digitalizar os pagamentos entre pessoas, empresas e governo;
  • Permitir transações em tempo real sem intermediários, mesmo entre contas de diferentes instituições;
  • Acabar com o tempo de espera até o pagamento ou a transferência “cair” na conta;
  • Reduzir ou zerar os custos de transações como TEDs, incentivando a rede bancária a fazer o mesmo;
  • Facilitar o pagamento de compras, contas, faturas, boletos e impostos;
  • Substituir outros meios de pagamento menos práticos, como cartão de débito e dinheiro em espécie, nas compras do dia a dia;
  • Aumentar o potencial de inclusão financeira da população.

Com uma única plataforma usada por todas as instituições, a tendência é que o mercado fique mais competitivo e que as empresas ofereçam serviços financeiros cada vez melhores.

Por que as transações do Pix caem na hora? 

Que o dinheiro de uma transação via Pix cai na hora em que é realizada, você já sabe. Mas, o que acontece por trás desse processo?

Antes, para realizar uma transação bancária, era necessário a presença de agentes intermediários, como as maquininhas e as bandeiras de cartão, por exemplo. Além de um processador para conectar todos eles. 

Isso deixava o processo de envio e recebimento de valores mais lento e burocrático. Agora, não importa o meio de pagamento, horário, data ou instituição financeira e sim, se a conta está vinculada ao Pix.

Afinal, essa nova forma de pagamento elimina a presença de qualquer intermediário entre as transações, fazendo com o que o dinheiro entre na conta de destino de forma instantânea. 

Quem pode usar o Pix?

Todas as pessoas físicas e jurídicas podem usar o Pix para pagamentos instantâneos, desde que tenham uma conta em qualquer instituição financeira.

Os pagamentos instantâneos podem ser realizados entre:

  • Pessoas físicas (P2P);
  • Pessoas e empresas (P2B);
  • Empresas (B2B);
  • Pessoas e governo (P2G);
  • Empresas e governo (B2G);
  • Governo e empresas (G2B).

Lembrando que serviços como transferências e pagamentos são gratuitos para as pessoas físicas, enquanto as empresas possuem tarifas competitivas para realizar suas operações.

Quais bancos oferecem o Pix

Todos os bancos com mais de 500 mil clientes são obrigados a oferecer o Pix como meio de pagamento. Os demais podem se inscrever voluntariamente.

Entre as instituições que oferecem o Pix atualmente, estão os cinco maiores bancos brasileiros (Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Itaú e Santander), vários bancos digitais (C6, Inter, Original, Nubank, etc), carteiras digitais (Mercado Pago, PagSeguro, PayPal e PicPay) e também redes como Cielo, Rede, Stone e SumUp.

pix-tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-esse-novo-meio-de-pagamento-2

Como o Pix funciona

O Pix aparece como uma opção de pagamento nos apps e sistemas financeiros. Depois de fazer o cadastro na sua conta, você tem três opções para enviar e receber dinheiro:

  • Chaves Pix: você pode cadastrar chaves de endereçamento usando seu CPF/CNPJ, e-mail, celular ou um código aleatório, que funcionam como “apelidos” para identificar sua conta no sistema;
  • QR Code: é possível realizar pagamentos e transferências apontando a câmera do celular para um QR Code;
  • Copia e cola: alternativa simples e rápida para quem não consegue ler o QR code. Ele é um link ou código gerado a partir do QR code, que pode ser copiado e colado em um campo específico para esse fim;

O Banco Central também trabalha para que, no futuro, a tecnologia NFC (Near Field Communication) de pagamentos por aproximação também esteja disponível no Pix.

O que são as chaves Pix?

Para enviar uma encomenda a alguém é necessário ter o endereço da pessoa, certo? Usando essa analogia, as chaves Pix são como “endereços”, que servem para identificar quem irá receber a “encomenda”, ou seja, o dinheiro. E, no lugar do nome da rua, prédio e cep, as chaves Pix são códigos, que podem ser:

  • Número do celular;
  • CPF (quando for pessoa física) e CNPJ (para empresas);
  • E-mail;
  • Códigos  aleatórios gerados pelo aplicativo e compostos por números e letras.

Dessa forma, para realizar uma transferência, basta informar a chave Pix e, automaticamente, a instituição financeira irá identificar o usuário que irá receber o dinheiro.

O cadastramento das chaves Pix não é obrigatório para usar o sistema, mas é altamente recomendável, já que elas trazem mais segurança e praticidade.

A vantagem é poder receber um Pix sem precisar passar seus dados bancários para o pagador — basta informar uma das chaves Pix vinculadas à conta para receber o dinheiro na hora.

O mesmo ocorre com o envio de dinheiro: é só acessar o app ou sistema da sua conta, escolher a opção transferência/pagamento no Pix e informar uma das chaves do contato para enviar o valor desejado.

Aqui, é importante ressaltar que:

  • A opção de digitar os dados bancários, como fazemos hoje com TEDs, também está disponível no Pix;
  • Empresas podem cadastrar até 20 chaves por conta, enquanto pessoas físicas podem cadastrar até cinco;
  • Não é possível utilizar a mesma chave em bancos diferentes. Se no Banco do Brasil sua chave Pix é seu número de telefone, no Banco Bradesco terá de ser o seu e-mail, por exemplo. 

O que é Pix Cobrança?

O Pix Cobrança é uma modalidade de transferência disponível apenas para pessoas jurídicas, com algumas diferenças, como a possibilidade de inserir a data de vencimento, juros, multas e descontos. 

Com ele, a empresa pode gerar um código único com todas essas informações, que irá identificar aquela transação. Assim, caso o cliente não realize o pagamento, o dono do negócio pode comprovar a venda e protestá-la, da mesma forma que ocorre com o boleto bancário. 

Além disso, devido a rapidez com que a transação é processada, acaba sendo uma ótima opção para empreendedores que precisam aguardar o pagamento do cliente para liberar um produto ou agendar um serviço. 

Vale lembrar também que o Pix Cobrança pode ser utilizado tanto em pontos físicos quanto em e-commerce.

Sabia que, por meio da solução de cobranças da Conta Azul, podemos ajudar a sua empresa a realizar transações via Pix Cobrança de uma forma simples e segura?

Diferenças entre Pix, TED e DOC

Muito se fala sobre a possibilidade de o Pix substituir operações como TED e DOC, já que é muito mais eficiente e barato.

Essa já é uma realidade quando falamos sobre o DOC, que teve suas transferências encerradas em 15 de fevereiro de 2024 e o sistema extinto no dia 29 do mesmo mês.

Estas são as diferenças entre os meios de pagamento:

  • Rapidez da liquidação: enquanto a TED cai na conta bancária no mesmo dia apenas se for feita até às 17h, o Pix leva menos de 10 segundos para ser liquidado. Já o DOC chegava na conta apenas no próximo dia útil (se feito em dia útil e até as 22h) ou em dois dias úteis (se realizado em finais de semana, feriados e após as 22h);
  • Disponibilidade: um dos grandes inconvenientes do TED (e do extinto DOC) é a restrição de dias e horários para realizar as transações, enquanto o Pix funciona 24/7;
  • Praticidade: para fazer uma TED ou DOC, você precisa digitar nome, CPF e dados bancários do recebedor, enquanto o Pix pode ser feito com uma simples chave (que pode ser o CPF, número do celular ou e-mail do recebedor) ou QR Code;
  • Limite de valor: enquanto o DOC permitia transações de até R$ 4.999, a TED pode ser usada para valores acima de R$ 5 mil. Já o Pix, por questões de segurança, só possui um limite noturno, que pode ser personalizado pelo usuário.
  • Notificação: outro diferencial do Pix é que tanto o pagador quanto o recebedor recebem notificações da transação.

7 vantagens do Pix para empresas

O Pix trouxe muitas vantagens para a população em geral e também para as empresas. Veja alguns dos benefícios que os donos de negócio têm ao usar o sistema de pagamento:

1. Redução de custos

Uma das principais vantagens do Pix para empresas é a redução de custos que o sistema proporciona.

Além da possibilidade de economizar com emissão de boletos e com maquininhas de cartão, as taxas são mais baixas do que os já citados DOC e TED.

Em alguns casos, são até inexistentes, pois alguma instituições estenderam às pessoas jurídicas a mesma gratuidade oferecida às pessoas físicas.

2. Dinheiro na conta sem intermediários

Além de ser mais barato, o Pix também elimina os intermediários das transações e agiliza o recebimento nas empresas.

Ou seja: em até 10 segundos, o dinheiro do cliente estará na sua conta, sem precisar passar por adquirentes, bandeiras e bancos emissores, como ocorre com os pagamentos em cartão de crédito e débito.

Dessa forma, você ganha fôlego no caixa, aumenta a liquidez da empresa e se livra de tarifas cobradas na rede bancária.

3. Agilidade nos recebimentos

Outra vantagem marcante do Pix é a agilidade dos recebimentos, que acelera as transações nas empresas.

Se você possui uma loja física, por exemplo, um QR Code para pagamento com Pix pode reduzir consideravelmente as filas no caixa, já que o cliente só precisa apontar o celular para fazer seu pagamento instantâneo.

No caso do e-commerce, a liquidação imediata do pagamento faz toda a diferença para a logística e prazo de entrega do produto.

Se antes era preciso aguardar a compensação de boletos ou esperar pelos dias úteis para fazer transferências, com o Pix tudo se resolve em menos de 10 segundos, trazendo mais comodidade para o cliente e eficiência operacional para as empresas.

4. Praticidade nos pagamentos

Além de receber rapidamente, sua empresa também poderá utilizar o Pix para fazer pagamentos de forma prática e imediata.

Você pode utilizar o sistema para pagar os salários dos colaboradores, pedidos de fornecedores, impostos e qualquer compra realizada pela organização.

Assim, você deixa de pagar tarifas altas em operações como TEDs e DOCs, garante a liquidação instantânea do pagamento e ainda melhora sua relação com funcionários e parceiros.

5. Aumento da produtividade

De modo geral, o Pix pode ter um impacto positivo na produtividade das empresas, já que economiza tempo em várias funções.

Pense, por exemplo, em como será mais simples e rápido para o financeiro fazer pagamentos sem precisar digitar dados bancários.

Da mesma forma, os caixas conseguem atender mais rapidamente e os vendedores podem agilizar os recebimentos.

6. Redução da inadimplência

O Pix também representa um grande avanço para a gestão de contas a receber e controle da inadimplência nas empresas.

Isso porque muitos credores utilizam boletos como meio de cobrança, e a demora na compensação e custos elevados prejudicam a relação com os clientes inadimplentes.

Sem contar os boletos de acordo que são usados para tentar descontos ainda maiores com a empresa, estendendo ainda mais a negociação.

Com o Pix, será possível negociar com os devedores e receber pagamentos instantaneamente, trazendo mais eficiência ao processo de cobrança.

Além disso, com o pagamento imediato, o nome do cliente poderá ser retirado rapidamente dos órgãos de proteção ao crédito, caso tenha sido negativado.

7. Segurança nas transações

Por fim, todas as transações feitas pelo Pix serão criptografadas e protegidas pelo sigilo bancário, da mesma forma que o DOC ou TED.

Além disso, o pagamento 100% digital com QR Code, chaves Pix ou aproximação oferece mais segurança do que os meios tradicionais como cartão e dinheiro em espécie.

O Pix é seguro?

Sim, o Pix é seguro. Obrigatoriamente, de acordo com o Banco Central, as instituições financeiras precisam adotar dois protocolos, também chamados de “camadas”, para garantir a segurança dos usuários do Pix. São elas:

  • a criptografia, que impede interceptação dos dados durante uma transferência;
  • e a autenticação, ou seja, a confirmação da identidade do usuário e também da instituição financeira.  

Dessa forma, fazer um Pix é tão seguro quanto uma TED ou DOC. 

Leia também