Marketing de conteúdo para pequenas empresas: será que vale a pena?

Marketing de conteúdo para pequenas empresas: será que vale a pena? Tire todas as suas dúvidas neste guia completo.

Marketing de conteúdo para pequenas empresas: será que vale a pena?

A resposta é “sim”, mas chegar a essa conclusão não é tão fácil para quem está começando.

Com orçamentos enxutos, alguns gestores de pequenas empresas acreditam que o marketing de conteúdo é só para grandes organizações.

Sem o devido conhecimento, os benefícios desse investimento podem não ser percebidos.

Entre eles, estão o reforço de autoridade da marca, atração de possíveis clientes, estreitamento do relacionamento com os consumidores e geração de leads para vendas.

Portanto, não há dúvidas de que, se você ainda não investe nesse tipo de marketing, é hora de começar.

O primeiro passo você já deu: buscou conhecimento sobre o assunto e caiu aqui no nosso guia completo de marketing de conteúdo para pequenas empresas.

E agora, vamos dar o segundo passo?

Um sistema de gestão que conecta as áreas da sua empresa: do financeiro ao comercial

Nas próximas linhas, você vai entender melhor o conceito, conhecer alguns exemplos práticos e, por fim, entender como usar essa estratégia para levar seu negócio mais longe em 2019.

Para facilitar, navegue pelos seguintes tópicos:

O que é marketing de conteúdo para pequenas empresas

O marketing de conteúdo, para pequenas ou grandes empresas, é uma estratégia de longo prazo para construir relacionamento e engajar clientes de uma marca, reforçando sua autoridade perante o público.

Esse método tem como elemento principal o conteúdo relevante e valioso para o consumidor, que é disponibilizado pela empresa por meio de canais digitais.

Trata-se de uma forma de se comunicar diretamente com o público-alvo  para prospectar novos clientes, fortalecer a relação com os já existentes e gerar credibilidade para a marca.

A definição do Content Marketing Institute é a seguinte: “Aproximação de marketing estratégica focada na criação e distribuição de conteúdo valioso, relevante e consistente para atrair e reter uma audiência claramente definida  — e, em última instância, impulsionar a ação lucrativa do cliente”.

Provavelmente, ao resgatarmos o conceito de marketing de conteúdo, você tenha se lembrado de conteúdos em blogs, redes sociais, e-mail marketing e tantos outros canais que utiliza no dia a dia.

Em uma pequena empresa, esse marketing precisa ser ainda mais milimétrico, ou seja, atingir o público certo com a mensagem perfeita e um orçamento menor do que os grandes nomes do mercado.

Mas ele só é efetivo quando o conteúdo oferecido ao cliente realmente agrega valor.

Quando o conteúdo é relevante, os visitantes do seu site, seguidores nas redes sociais e leitores para os quais você manda e-mail marketing tornam-se leads.

Isso significa que essas pessoas têm potencial para se tornarem clientes da marca.

E como isso acontece?

É o que vamos descobrir em breve.

Marketing de conteúdo ou inbound marketing

Antes de aprender as melhores práticas de marketing de conteúdo, vale a pena compreender bem o conceito.

Existe diferença entre marketing de conteúdo e inbound marketing?

Essa é uma dúvida comum entre gestores que estão recém começando a se envolver com marketing digital.

Como vimos, o marketing de conteúdo usa o conteúdo para envolver o cliente.

É uma forma de atrair o consumidor por meio de conteúdo gratuito, que o leva até um serviço pago.

Agora que você já conhece a definição de marketing de conteúdo, vamos ao inbound.

Como afirma o analista de marketing Joe Chernov, em um artigo para o Hubspot, o marketing de conteúdo é um subconjunto do inbound.

Não há inbound sem conteúdo”, afirma.

O inbound marketing é a estratégia central do marketing digital como um todo.

Nesse caso, estamos falando de qualquer ferramenta de marketing capaz de atrair o cliente de uma forma orgânica, fazendo com que ele se interesse pela empresa, e não apenas pelo conteúdo em si.

Segundo Bob Carver, fundador da Carver Technology Consulting, em artigo para o site Social Media Today, o inbound é muito mais do que o marketing de conteúdo.

“Inbound marketing é um conjunto de ferramentas, tecnologias e processos que trabalham juntos para gerar tráfego ao site  — e disso, leads de venda que você eventualmente converterá em clientes”, diz ele.

Tipos de marketing de conteúdo

Existem vários canais pelos quais é possível fazer marketing de conteúdo.

Uma boa estratégia é aquela que consegue integrar vários canais, utilizando o melhor de cada um de acordo com suas finalidades.

Abaixo, conheça os principais tipos de marketing de conteúdo:

Blogs

O blog é um dos canais mais potentes para atrair usuários na internet.

Afinal, essas plataformas permitem a criação de conteúdo relevante e atualizado, capaz de levar algo de valor para o leitor.

Mas para que o marketing de conteúdo nos blogs funcione, de fato, é preciso adotar o SEO, que é um conjunto de técnicas para estabelecer uma conexão direta com o Google.

O SEO consiste em práticas de otimização de conteúdos para motores de busca.

Ele é essencial porque, com conteúdos otimizados, o leitor que faz buscas no Google encontra os textos do blog mais facilmente.

Redes sociais

Sim, também é possível fazer marketing de conteúdo nas redes sociais.

Afinal, se o seu potencial cliente está inserido nessas mídias, faz todo sentido incluir sua empresa lá também, certo?

A grande questão é que cada rede exige um tratamento diferente.

A estratégia que você vai usar no Instagram não é a mesma do Facebook ou do LinkedIn, por exemplo.

Mas há uma vantagem nisso: dessa forma, é possível fazer uma alta segmentação do público e ter mais sucesso na estratégia.

A dica é investir no impulsionamento pago para ampliar o alcance do seu conteúdo nas redes.

E-mail marketing

Quando falamos em e-mail marketing, você pode até achar que se trata de uma tática ultrapassada.

Mas, na verdade, essa é uma das ferramentas de marketing de conteúdo mais interessantes, apresentando, muitas vezes,  as melhores taxas de retorno sobre investimento (ROI).

De acordo com o Radicati Group, em 2020, haverá 3 bilhões de pessoas utilizando e-mail.

Para uma boa campanha de e-mail marketing, encaminhe conteúdo somente quando ele for relevante para não lotar a caixa de entrada dos usuários.

Otimize o e-mail para mobile, personalize o conteúdo ao máximo e elabore conteúdos rápidos.

E-books

Os e-books são ferramentas importantes para captura de leads, já que, para baixá-los, o usuário precisa, necessariamente, informar o endereço de e-mail.

A melhor parte é que você consegue obter esse dado de forma totalmente orgânica e não invasiva.

Vamos supor que você tenha uma empresa de contabilidade e um blog recheado de conteúdo relevante.

Uma boa estratégia é, ao fim de um artigo, oferecer um e-book gratuito com informações mais aprofundadas sobre o mesmo tema que você está abordando, para instigar a curiosidade do leitor.

Aí, ele dá o e-mail em troca de conteúdo valioso.

Mas para isso, é obrigatório oferecer conteúdo original e relevante para a experiência do usuário, que sirva como aprendizagem para o leitor, caso contrário, você só irá deixá-lo irritado.

Webinars

Webinars são seminários em vídeo online que tratam de algum assunto específico relacionado à área de atuação da empresa.

O conteúdo pode ser gravado ou ao vivo, e o ideal é convidar palestrantes ou profissionais que são referência na área para atrair a atenção da audiência.

Os webinars também são excelentes para a captura de leads.

A dica é criar uma landing page (uma “página de aterrissagem") em que os usuários possam se inscrever no webinar a partir do cadastro do e-mail.

Exemplos de marketing de conteúdo

Que tal se inspirar em três exemplos de marketing de sucesso?

1. Magazine Luiza

A Magazine Luiza, um dos principais players do varejo brasileiro, usa estratégias de marketing a partir de redes sociais e blog.

Há inclusive o Portal da Lu, um blog da personagem da empresa que se comunica com os clientes, que aposta em conteúdo informativo e notícias sobre produtos e tecnologia.

Nas redes sociais, a empresa também consegue atrair o público e interagir com ele de forma mais próxima.

2. TAG Livros

Um dos clubes de assinatura de livros mais populares no Brasil, a TAG Livros faz marketing de conteúdo em diversos canais.

Além do blog sobre literatura, a empresa investe em parcerias com influenciadores digitais, como booktubers de grande projeção, para divulgação dos livros enviados aos assinantes todo mês.

3. Desinchá

Como uma empresa de chás pode fazer marketing de conteúdo na internet?

A Desinchá encontrou uma maneira de fazer isso.

O blog da marca apresenta conteúdo sobre todo o universo da saúde e da alimentação, com material diversificado capaz de atrair não só quem gosta de chás, mas quem se interessa por esses assuntos.

Diferenças entre marketing de conteúdo e marketing tradicional

Existem diferenças relevantes entre o marketing de conteúdo e o marketing tradicional (aquele feito em propagandas na TV, rádios, panfletos, jornais e revistas ou mesmo por telefone).

Confira quatro aspectos pelos quais eles se distinguem:

1. Público-alvo x persona

No marketing de conteúdo, toda divulgação de conteúdo é bem segmentada.

Isso quer dizer que, ao planejar uma campanha, é preciso ter em mente um público específico que você deseja atingir.

Já no marketing tradicional, normalmente, embora exista um imaginário de quem se pretenda atingir, o objetivo é chegar a um público em massa, composto pelo maior número de pessoas possível.

Por isso, em marketing de conteúdo digital, sobre o qual há uma base de dados muito maior, vale a pena compreender o conceito e o uso da persona.

O público-alvo se aplica a traços mais abrangentes e demográficos, como profissão, faixa de renda e localização.

Já a persona (ou cartela de personas) compreende melhor as dores e os hábitos do leitor-alvo: personagem específico (até com nome), problemas ou dificuldades pelos quais procura o conteúdo, como vai fazer aquela leitura, contexto que o envolve, etc.

Com ela, o conteúdo vai mais longe e produz melhores resultados.

2. Formato do conteúdo

Existe uma grande diferença entre marketing invasivo e não invasivo.

O marketing de conteúdo é não invasivo: é o cliente que busca pelo conteúdo que a empresa oferece, por meio dos canais que abordamos anteriormente.

É, em outras palavras, uma forma orgânica e sutil de atrair clientes.

Já o marketing tradicional é invasivo: as propagandas são agressivas, e o público não tem controle de vê-las ou não.

3. Métricas da campanha

Uma das principais vantagens do marketing de conteúdo é que toda as ações da empresa podem ser mensuradas.

Há métricas para tudo: quantas pessoas viram o conteúdo, quantos usuários foram convertidos em clientes, qual foi o retorno de investimento e assim por diante.

No marketing tradicional, ter métricas tão específicas (e úteis para a estratégia) não é possível.

4. Dados sobre o público

Assim como é possível obter métricas no marketing de conteúdo, dá para coletar informações sobre o usuário que busca pelos materiais da empresa.

O principal é o e-mail, mas você também pode obter pistas sobre o que estão buscando, de quais soluções precisam, que tipos de conteúdo consomem.

Com os dados em mãos, é possível segmentar ainda mais as ações de marketing.

Mais uma vez, no marketing tradicional, conseguir essas informações é bem difícil.

Vantagens do marketing de conteúdo

A seguir, elencamos as principais vantagens de adotar o marketing de conteúdo na sua pequena empresa. Confira.

Geração de leads

Segundo a pesquisa Content Trends 2017, o marketing de conteúdo gera 3,2 vezes mais leads de venda para as empresas.

Com esses leads bem trabalhados, a consequência direta é o aumento do número de clientes fiéis ou esporádicos e do lucro de venda.

Conteúdo alinhado com os hábitos do consumidor

A mesma pesquisa Content Trends 2017 aponta dois dados relevantes sobre a forma de consumo de conteúdo.

  • 98,2% das pessoas consomem conteúdo online

  • 87,5% de quem consome conteúdo online também o faz por dispositivos móveis

  • 84,7% usam a busca no Google para encontrar informações e conteúdos.

E tudo isso só faz sentido com o marketing de conteúdo, com um trabalho intenso em ferramentas como redes sociais, blogs otimizados e e-mail marketing.

Ou seja: se você investir no conteúdo, terá um posicionamento bem alinhado com os hábitos do consumidor.

Relacionamento com a audiência

O marketing de conteúdo possibilita a interação com a audiência em diferentes canais, de modo a criar um relacionamento com potenciais clientes e deixá-los engajados com a empresa.

E tudo isso de forma natural, já que são os consumidores que chegam até você.

No livro Content marketing: think like a publisher (Que Publishing, 2012), Rebecca Lieb afirma que essas pessoas, ao buscarem o conteúdo, estão interessadas, abertas e receptivas.

“Seus consumidores escolheram o momento  — tudo que você tem que fazer é estar pronto”, diz a autora.

Ferramentas para o marketing de conteúdo

Existem inúmeras ferramentas que facilitam o marketing de conteúdo  — mesmo.

Basta uma rápida busca no Google para se perder em meio a tantas ferramentas.

Mas, em uma pequena empresa, não há tempo ou recursos a perder.

Por isso, confira uma lista abaixo e, depois, vasculhe outras opções que atendam perfeitamente às suas demandas:

1. MailChimp

Essa é uma ferramenta muito útil na criação de campanhas de e-mail marketing.

Além de automatizar o envio de e-mails, o MailChimp permite configurar fluxos de envio, criar templates para o e-mail e monitorar os inscritos na sua lista.

Como ela, existem muitas outras ferramentas de e-mail marketing.

Ou seja, investigue as alternativas para encontrar aquelas que mais fazem sentido para a sua demanda.

2. Hootsuite

A plataforma Hootsuite é uma das mais populares quando o assunto é marketing em mídias sociais.

Com ela, é possível gerenciar posts nas redes sociais, agendar postagens e medir o impacto das campanhas por meio de relatórios.

Dessa maneira, além de controlar os resultados do conteúdo, é possível reduzir o tempo de gerenciamento das postagens.

Assim como a Hootsuite, existem muitas outras opções.

Explore o mercado antes de optar por uma delas.

3. BuzzSumo

Essa ferramenta é excelente para o planejamento editorial das suas campanhas de conteúdo.

O BuzzSumo permite identificar quais conteúdos estão em alta nas redes sociais, sobre o que os influenciadores digitais estão falando e o que os concorrentes estão publicando.

Bônus: para complementar, vale dar uma espiada no Google Trends, que também mostra quais buscas são as mais populares do momento.

4. Gerador de personas

O Persona Generator é uma referência quando se trata de segmentar o seu público-alvo com base tanto em dados demográficos quanto em hábitos comportamentais e de consumo.

A ferramenta permite a criação de personas completas de forma prática.

Para quem ainda não está acostumado com essa prática, a ferramenta facilita muito, já que oferece um formulário com todas as informações necessárias que você deve preencher.

5. Canva

Muitas empresas pequenas não têm orçamento suficiente para contratar designers responsáveis pela criação de materiais visuais, como posts para redes sociais, por exemplo.

O Canva é uma ferramenta que soluciona esse problema.

Nela, é possível encontrar templates prontos para elaborar conteúdos em diferentes plataformas.

Tudo de maneira intuitiva, sem que você precise ter conhecimentos prévios em design.

6. Trello

Para um marketing de conteúdo eficiente, organização é essencial, especialmente na pequena empresa.

Por isso, uma ferramenta como o Trello é indispensável.

A principal vantagem é que ele permite uma melhor gestão de projetos, organizando todas as atividades do marketing e coordenando equipes inteiras.

O Trello também permite a indexação de documentos e imagens na própria plataforma, de modo que os colaboradores possam acessar arquivos diretamente na nuvem.

Como fazer marketing de conteúdo na sua pequena empresa

Agora chegou a hora de fazer uma estratégia de marketing de conteúdo na sua pequena empresa.

Confira o passo a passo com cinco ações essenciais:

1. Defina o objetivo da campanha

Toda estratégia de marketing precisa ser feita, necessariamente, com um objetivo em mente.

Sem isso, além de não poder mensurar os resultados da campanha, é praticamente impossível ter um direcionamento eficaz para os conteúdos que você irá veicular.

2. Crie uma persona

Na hora de produzir um conteúdo, você deve ter em mente que está escrevendo para alguém.

Esse alguém é o seu público.

Para saber exatamente quais características ele apresenta, a regra é criar uma persona: uma representação fictícia das pessoas reais que compõem a sua audiência.

Quanto mais informações essa persona tiver, mais claramente você irá enxergar o seu público-alvo.

3. Escolha os canais e ferramentas

Você também precisa identificar quais canais de marketing de conteúdo deve utilizar para chegar ao seu objetivo.

Se o seu objetivo for ter um relacionamento informal com o cliente ou humanizar a marca, então, as redes sociais são ideais.

Se o seu objetivo for atrair leads qualificados, uma boa opção é o blog.

Claro que um não exclui o outro, mas você precisa saber qual é a finalidade ao usar cada um deles.

Com essa definição, veja quais ferramentas de marketing podem ajudar na divulgação e gerenciamento de conteúdo.

4. Crie o conteúdo

Esse é o momento de planejar o tipo de conteúdo que será divulgado.

Ele precisa ser personalizado conforme a necessidade dos canais escolhidos, já que todos possuem linguagens e funcionamentos diferentes.

A personalização do conteúdo, portanto, é fundamental.

Não se esqueça de definir a regularidade com que os conteúdos serão publicados.

E, de fato, coloque a mão na massa para produzir.

5. Analise as métricas

Como você bem sabe, uma pequena empresa precisa medir o resultado de todas as suas ações e seus investimentos.

No marketing de conteúdo, não é diferente.

A dica é escolher KPIs (key performance indicators, ou indicadores-chave de performance) por meio dos quais avaliar o sucesso da campanha.

Taxa de conversão de leads, número de interações e origem do tráfego são alguns deles.

Nunca deixe a análise de métricas em segundo plano, pois, no fim das contas, é ela que irá dizer se é preciso ajustar a estratégia ou seguir o planejamento.

Com essas dicas em mente, você já está preparado para criar marketing de conteúdo para sua pequena empresa.

Faça o teste e veja como essa estratégia pode aumentar a performance do seu negócio.

E não esqueça de compartilhar este artigo nas suas redes sociais.

Um sistema de gestão que conecta as áreas da sua empresa: do financeiro ao comercial

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?

 
<https://cta-service-cms2.hubspot.com/ctas/v2/public/cs/c/?cta_guid=50ebdc92-329a-40a1-9caf-fa81543a8adc&placement_guid=2fe57723-5fb5-47c5-b9eb-e06d10883d31&portal_id=652034&redirect_url=APefjpH-sJodulB40LkLn3KOdjabGsRQrvD-UzG_-mxgFGYOQY7Pax91wMczwqC9tjy6OjwX00HU_Bo7PUPMr5BIKOv40gMMcHS86PIGVrS7qRooJBOJ-7oexC4LmqeY82ilgISiw_vgWj_M6UrXXz1MrtJWPp1fCkV3L8k9Z1TtKD_8zvHbHbmBJ-eUK8zfoV_QfTmHP_eg4dFVeSu30yynTNlUDR2aWCt8pi1edP5oHylON5s64GfVFnCwR305nirbsqyzLULbK7y2JSzUtMlN7fQ4XNMBWGbmU8axTsYxArQmFT5Bef95SSu6-RPgLNW5AplENu_zmV3QuRJ6K_Gd5RpBPj09UQ&hsutk=69c6ede4c71301f633be694182efeb4b&canon=https%3A%2F%2Fblog.contaazul.com%2Fo-que-e-pro-labore-ab&click=2a99f1b9-eb95-4503-bbbb-7be3d73be873&pageId=5442744710&__hstc=99675841.69c6ede4c71301f633be694182efeb4b.1512590389679.1512590389679.1512647250062.2&__hssc=99675841.7.1512647250062&__hsfp=1187972499>  <https://experimente.contaazul.com/controle-financeiro/>   ContaAzul é o sistema de gestão online  para você organizar sua empresa   <https://experimente.contaazul.com/controle-financeiro/>  Quero Saber Mais  <https://experimente.contaazul.com/controle-financeiro/>   Experimente Grátis <https://contaazul.com/cadastro/>