Conheça os tipos de capital de giro e como eles afetam a sua empresa

Sobre o que estamos falando?

  • Apesar de muitos empreendedores conhecerem ou ao menos terem uma noção do que é, poucos sabem que existe mais de um tipo de capital de giro, e conhecer os 4 existentes é importante para um bom gerenciamento financeiro do negócio;
  • Controlar o capital de giro é o desafio central do empreendedor ou colaborador responsável pelas finanças do negócio, pois são valores variáveis, em movimento e que podem inclusive enfrentar imprevistos;
  • Manter o dinheiro, as contas a pagar e a receber, transferências internas, quitações tributárias e qualquer valor sob vigia é extremamente importante. Faça tudo isso e mais a partir de um só lugar com a plataforma de gestão integrada Conta Azul Pro.

Experimente grátis a Conta Azul!

 

 

Poucos sabem, mas há ao menos quatro termos para diferenciar os tipos de capital de giro. Também conhecido como ativo circulante, sua definição básica de ser o dinheiro em caixa e o montante que está "girando" não é suficiente para representar as variações e detalhes.

É quase impossível gerir uma empresa sem estudar um pouco de finanças. Se você já tem um negócio e ainda não conhece esses conceitos, tudo bem, ainda há tempo de correr atrás. Basta que se aprofunde, e conhecer os tipos de capital de giro é um bom início.

Abaixo, você conhecerá quatro tipos de capital de giro e o que os define. Também conhecerá o impacto que eles têm na rotina de um negócio. Por fim, descubra a ferramenta ideal para coordenar o caixa e as movimentações financeiras da empresa.

Faça uma boa leitura!

Quais são os tipos de capital de giro e como eles são definidos 

Antes de começarmos a explicar os tipos de capital de giro, é preciso saber se você já domina o conceito raiz. Isso é, se já sabe o que é, como calcular, e conhece a relação com autofinanciamento.

Do contrário, sugerimos que leia nosso Guia Completo sobre Capital de Giro: o que é, necessidade e como calcular. Após absorver esse conhecimento mais básico, retorne aqui e aprenda quais são os quatro tipos de capital de giro.

O termo capital de giro pode ser usado em quatro circunstâncias diferentes, suas variações de significado e contexto. Para isso, o nome ganha um complemento conforme a situação. Esses tipos se referem a valores ou condições distintas de cada montante em circulação:

Capital de giro líquido

Esse termo se refere à quantia resultante quando se subtrai o passivo circulante do ativo circulante. Responder dessa forma é simples, mas o empreendedor precisa saber o que os termos ativo, passivo e circulante significam.

Ativos são os bens e os direitos que formam o balanço patrimonial de uma empresa. Circulante se refere à liquidez dos valores. Logo, ativo circulante é aquele convertível em dinheiro a curto prazo, como o caixa e o estoque.

Imóveis, automóveis, equipamentos e outros bens de média e baixa liquidez são conhecidos como ativos fixos. Por serem de baixa conversão, os valores normalmente não são considerados no capital de giro líquido.

Já o passivo circulante não é um bem. Pelo contrário, é uma dívida ou obrigação de pagamento. O que o torna "circulante" é o vencimento acontecer em até um ano.

Entre os exemplos, estão boletos de fornecedores, folha de pagamento dos colaboradores, impostos, conta de luz e empréstimos.

Se quiser aprender mais sobre o significado desses e outros termos, confira nosso Dicionário de Contábil para Empreendedores: conheça tudo sobre contabilidade para o seu negócio de A a Z,

Capital de giro negativo

Capital de giro negativo se refere a quando o ativo circulante não é o suficiente para pagar os credores. Quando sua empresa chega a esta situação, é necessário ficar em alerta.

Claro, a curto prazo pode ser uma eventualidade, mas se isso se perpetuar por muito tempo, pode haver uma crise de liquidez. A consequência é o prejuízo que, se não coberto,  transforma-se em uma bola de neve que, quanto maior, tem mais chances de levar a empresa à falência.

No entanto, nosso objetivo não é assustar os empreendedores. Queremos  ajudar negócios a alcançarem o sucesso através de estudo, estratégias e ferramentas. Então, temos uma sugestão para fugir do capital de giro negativo: adotar uma gestão estratégica de custos.

Capital de giro próprio

Esse é outro termo referente a um estado do capital de giro. Quando a empresa consegue acumular capital suficiente para suprir todas as contas sem precisar pedir empréstimos ou investimentos de fora, ele não é "positivo", ele é "próprio".

Se for essa a sua situação, comemore! Significa que o negócio está financeiramente saudável e consegue se sustentar com os recursos que recolhe. Saiba, no entanto, que há uma operação que mantém o controle financeiro regular, facilitando alcançar o capital de giro próprio.

O nome dessa operação é fluxo de caixa. Quando feita com regularidade, mantém-se em vista os valores que a empresa possui, aqueles que está para pagar e quais ainda vai receber. Com controle e previsibilidade, o empreendedor toma decisões melhores para atingir o capital de giro próprio.

Capital de giro associado a investimentos

A operação de investimento em uma empresa é necessária para a expansão. Quando uma parte dos recursos financeiros circulantes são destinados a pagar os custos de uma operação investidora, damos a ela o nome de capital de giro associado a investimentos. 

Conhecer essa fatia da conta é importante para monitorar a saúde financeira da empresa e entender o estado real das coisas. Mesmo que o capital de giro diminua de um mês para o outro, se a causa for o investimento, é um sinal de que o negócio pode estar evoluindo.

No entanto, não coloque o dinheiro da empresa em qualquer lugar antes de calcular o payback. Esse é o indicador financeiro que representa o tempo de retorno sobre um investimento que o negócio fizer.

O impacto do capital de giro na rotina das empresas

Calcular o capital de giro da empresa é importante para entender e controlar o fluxo de caixa. Apenas dessa forma é possível manter as contas e o negócio saudáveis financeiramente. E aqui não falamos somente de crescer, pois quem tem capital de giro negativo pode acabar falindo. 

Essa operação é fundamental no planejamento financeiro da empresa. Inclusive, as empresas que não o fazem, representam os 49,4% de CNPJs que morrem em até dois anos, segundo dados do Sebrae e da Unesp. É esse cálculo que permite controlar finanças, sinalizar riscos, avaliar rentabilidade e ter segurança para imprevistos.

Claro que muitos negócios, ainda mais no começo, podem ter dificuldades em manter um capital de giro alto com recursos próprios. Por isso, há várias instituições, inclusive do governo, que oferecem empréstimos com condições personalizadas para pequenas e médias empresas.

Só que crédito pode ser ou não uma benção. Quando sabe o que faz e usa uma gestão inteligente, o empreendedor usa esse valor para aumentar o faturamento, pagar o empréstimo e obter lucro. Sem planejamento, a dívida se acumula e surgem multas, levando ao prejuízo e à falência.

Uma forma de manter o capital de giro sob controle é usar ferramentas adequadas para a administração financeira. O melhor exemplo é a plataforma de gestão integrada (ERP).

Otimize o gerenciamento do seu capital de giro

O capital de giro engloba diversos valores que estão sempre em movimento. Ficar de olho em todos ao mesmo tempo faz o empreendedor virar uma mosca, cheia de olhinhos para tudo que é lado, ou um camaleão, que cada olho se movimenta para um lado diferente. 

Ao menos é assim para quem não conhece ferramentas inteligentes que centralizam, integram e facilitam a leitura de todos esses dados. No caso, estamos falando das plataformas de gestão integrada, que oferecem isso e tudo mais.

Com um ERP online, é possível administrar todo o dinheiro da empresa a partir de um só lugar. E com isso queremos dizer, inclusive, prever, quitar e cobrar contas a pagar e a receber, fazer conciliação bancária e tributária e acessar todos os dados da saúde financeira do negócio.

Benefícios da Conta Azul para a Gestão Financeira do Negócio:

  • Função Visão de Competência: dá acesso a todos os lançamentos consolidados, mesmo se forem parcelados, mostrados conforme a data de competência;

  • Organizador de contas a pagar: elimina a inadimplência ao cadastrar contas a pagar e não perder nenhuma de vista;

  • Controle de vencidos: faça a gestão dos pagamentos com resumos de todos os lançamentos de entradas e saídas que estão perto da data de vencimento;

  • Gestão de clientes inadimplentes: emita relatórios de clientes que estão com as contas atrasadas;

  • Emissão de boletos integrada: Emita e envie boletos bancários automaticamente ou por formulários simplificados;

  • Fluxo de caixa: emita relatórios de fluxo de caixa diário, mensal ou no período que desejar, inclusive do caixa previsto;

  • E muito mais!

Mas a Conta Azul Pro não cuida só do financeiro. Ela ajuda na gestão do negócio inteiro. Faça o teste grátis agora e confira!

Leia mais:

Newsletter

Faça agora a gestão financeira do
seu negócio em um único lugar