Páscoa 2017: 5 oportunidades para nascer uma empresa

Planejamento para a páscoa 2017

A Páscoa 2017 se aproxima e quem busca uma renda extra na data pode descobrir uma vocação. Se você deseja retornar ao mercado de trabalho ou colocar em prática um sonho empreendedor, há boas oportunidades à sua espera para criar uma empresa de sucesso.

Neste artigo, você vai conhecer:

  • Como ganhar dinheiro na Páscoa 2017
  • Dicas para transformar uma renda extra em empresa
  • As vantagens e as etapas para sair da informalidade
  • Como tirar seu negócio do papel e ter sucesso
  • Como atrair mais clientes e negociar com empresas
  • O que é preciso para se diferenciar no mercado.

Experimente ContaAzul: Sistema de Gestão para pequenas empresas que pensam grande

Páscoa 2017: é hora de ganhar dinheiro

É na crise que surgem as oportunidades. Você certamente já ouviu e leu essa frase diversas vezes. Mas já a encarou com a seriedade que merece? Se ainda não o fez, o momento é agora. A Páscoa se aproxima e é hora de ganhar dinheiro.

O Brasil fechou 2016 com 12,3 milhões de pessoas sem emprego, conforme pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em janeiro, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) estimou em 13,6 milhões o número de desempregados no país em 2017 e acrescentou: de cada três desempregados no mundo, um será brasileiro neste ano.

As notícias são duras, escancaram uma realidade difícil, mas quem vivencia a crise não pode se deixar abalar. Todos querem vencer, mas você pode conseguir. Como? Unindo talento à criatividade e a uma boa ideia de negócio. Junte tudo isso a um planejamento bem elaborado e terá a receita de sucesso para a Páscoa. Você tem pouco mais de 30 dias pela frente. Está preparado?

5 oportunidades de negócio na Páscoa

A Páscoa é uma data tradicionalmente utilizada como alternativa de renda extra, especialmente através do comércio informal de ovos de chocolate. Afinal, a inflação é outro fator da crise no Brasil e as pessoas até querem presentear, mas evitam os produtos mais caros. É aí que muitos brasileiros aproveitam para ganhar algum dinheiro na data.

A ideia não é ruim, certamente. Mas quem tem perfil empreendedor está sempre em busca de inovação, do fazer diferente, encontrar um diferencial para se destacar em meio à multidão. Essa é uma característica fundamental para transformar o aspecto temporário da Páscoa em uma oportunidade permanente.

Se você está entre aqueles que desejam ter um negócio para chamar de seu, confira boas ideias para lucrar na data e abrir sua empresa.

1. Chocolate, é claro

Por vezes, não se pode fugir do óbvio, mas utilizá-lo a seu favor. É claro que chocolates são uma oportunidade ótima de ganhar dinheiro na Páscoa. Mas para que a ideia sobreviva além da data, é preciso de um pouco mais do que uma receita saborosa.

Criatividade é o primeiro passo. Seja na proposta ou na apresentação do produto, é preciso garantir que as vendas não fiquem restritas ao período comemorativo.

As pessoas consomem chocolate durante todo o ano - inclusive, há estatísticas que colocam os brasileiros entre os dois principais consumidores no mundo. Mas o que você vai fazer para que o seu produto seja o escolhido é a peça-chave desse quebra-cabeças.

Chocolate em barra, ovos de Páscoa, trufas e bombons integram o pacote tradicional. A diferenciação pode se dar nos sabores. Que tal um apelo regional, como um toque de erva-mate no Sul e uma receita com açaí no Norte? Cada canto do nosso país tem também seus aromas e, quem sabe, você possa explorar alguns deles em seus produtos.

É preciso ter em mente que as oportunidades para um empreendedor surgem quando menos se espera. Veja que interessante a história de uma jovem que, ao trabalhar em um sex shop, identificou na conversa com uma cliente a demanda no mercado por chocolates em formatos eróticos. Esse é um bom exemplo de como ser criativo ajuda bastante.

2. Brigadeiros gourmet

Você com certeza já ouviu falar e deve ter percebido pessoalmente que estamos em plena gourmetização culinária. E o popular brigadeiro, um dos doces símbolos do Brasil, não escapou da moda.

É verdade que esse é um mercado concorrido, mas sempre haverá espaço para boas ideias. Quem sabe a Páscoa 2017 não seja a oportunidade que você estava esperando para investir nessa área?

Graças a inovações nas receitas, ingredientes novos e paladares sofisticados, o brigadeiro deixou de ser um item exclusivo de festas infantis e tampouco restrito ao tradicional chocolate coberto com confeitos.

Para se destacar, vale o mesmo raciocínio aplicado a trufas e chocolates em geral: a aposta em sabores diferenciados e na apresentação criativa do produto.

O segredo do sucesso passa por conhecer o seu público-alvo e suas preferências. Explorar as frutas do Brasil pode funcionar muito bem com quem não resiste ao doce, mas não quer abusar das calorias. E para a turma da academia, vale até um brigadeiro com proteína do soro do leite.

A toda hora e em qualquer lugar, suas receitas podem fazer sucesso. O brigadeiro é democrático e aparece tanto como guloseima no trabalho quanto em festas de aniversários e casamentos.

3. Bolos caseiros

Nem todos são realmente fãs de chocolate. Outros convivem com a intolerância à lactose. E tem ainda quem busca uma alimentação livre de glúten. Seja qual for o caso, há uma certeza: existe mercado para um negócio de sucesso na área de bolos caseiros.

A Páscoa é uma boa oportunidade para colocar essa ideia de em prática. Mas como começar? Uma dica é iniciar com uma variedade menor de receitas e ir testando o paladar dos clientes. Quando se trabalha com alimentação, é um risco acumular produtos e encher o estoque de artigos perecíveis.

Assim como indicado para a venda dos brigadeiros, o sucesso em um negócio de bolos caseiros passa necessariamente por conhecer aquele que compra de você. O que ele mais gosta? O que estaria disposto a experimentar? No que você pode melhorar para agradá-lo mais? Um empreendedor atento está sempre de olho nas oportunidades de melhoria.

E uma das vantagens é que são muitas as possibilidades que se abrem a partir dos bolos. Desde os formatos mais simples para acompanhar o tradicional café da tarde, até tortas elaboradas para grandes comemorações, dá para ganhar dinheiro o ano inteiro.

4. Artesanato

Um hobby, uma complementação de renda ou uma empresa de sucesso? O que o futuro reserva para a sua habilidade em criações artesanais é uma incógnita, mas tenha a certeza de que a Páscoa oferece boas chances para medir a receptividade do público ao seu talento.

Brinquedos diversos, coelhos, cenouras e outros adereços cuja imagem está vinculada à data são opção interessante e de boas vendas no período. Se der certo, não faltam no ano datas comemorativas para se inspirar e garantir o sucesso do negócio de forma permanente.

Se você tem o perfil do tipo faça você mesmo, encontra facilmente ideias na internet em artigos e vídeos sobre artesanato na Páscoa. Mas como a proposta é se diferenciar, busque essas informações para adaptá-las ao seu raio de atuação.

Para quem trabalha como artesão, é válido consultar a prefeitura no município e entidades do setor para identificar oportunidades de mostrar o seu trabalho.

5. Peixes, por que não?

Páscoa não é só chocolate. Outro dos símbolos da data é o peixe, que ganha em importância nos cardápios por uma questão religiosa, já que a carne vermelha é evitada por fiéis de diferentes crenças.

Um restaurante dedicado a peixes e outros frutos do mar pode ser interessante, especialmente se cair no gosto dos clientes e não ser apenas mais do mesmo na sua cidade.

Mas o que acha de uma temakeria, o sushi em cone de alga? A culinária japonesa está em alta e a Páscoa é uma época interessante para lançar uma ideia de negócio com esse nível de sofisticação.

Já quem prefere uma proposta bem diferente, até mesmo a criação de peixes em tanques escavados pode começar de forma despretensiosa e se transformar em uma empresa lucrativa. Se essa for uma ideia que lhe agrade, busque o apoio de um órgão extensionista ou uma associação de piscicultores.

Quando a renda extra vira empresa

Ainda que você embarque na onda empreendedora da Páscoa sem a intenção de ter um negócio próprio, permita-se estar aberto à possibilidade. O caminho não é fácil, há adversidades internas e externas, como os concorrentes disputando o mesmo espaço que você. Mesmo assim, quem tem talento pode sair na frente.

O ideal é que já inicie com uma proposta bem definida, fruto de um plano de negócios elaborado com critérios detalhados. Essa etapa tende a ser decisiva para o êxito do projeto. Estude, faça cursos, se especialize na área em que deseja atuar e teste a viabilidade da empresa.

Entre outras questões, você precisa responder no seu planejamento o que é o negócio, quem serão seus clientes, onde a empresa será instalada, qual será o investimento inicial, qual o prazo de retorno do investimento e quanto irá faturar mensalmente.

Para efetivamente tirar a sua empresa do papel, tenha o apoio de dois aliados importantes: o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e um contador de sua confiança.

Entre outras questões, você precisará definir o tipo de empresa a abrir, a atividade econômica a exercer e o tipo jurídico escolhido. Por exemplo, você pode se definir por uma microempresa na área industrial, abrir uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli) e ter como atividade principal a fabricação de produtos derivados do cacau e de chocolates.

Essa atividade recebe o código 1093-7/01 na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). Como esse CNAE cabe no Simples Nacional, é grande a possibilidade de pagar menos impostos e de maneira simplificada - confirme com a contabilidade.

Em seguida vem o registro da empresa, a obtenção das licenças exigidas pelas autoridades estaduais e municipais e todo um processo burocrático, mas que vale a pena, como veremos a seguir.

Por que formalizar?

Quando você atua na informalidade, que é uma característica comum entre aqueles que buscam a renda extra na Páscoa, é como caminhar no escuro. Você até pode ter decorado o trajeto, mas não está totalmente protegido dos obstáculos e imprevistos.

Já com a empresa constituída, o empreendedor recebe um CNPJ, garante a cobertura para benefícios previdenciários, pode abrir conta em banco como pessoa jurídica, tem acesso a linhas de crédito específicas, pode emitir boletos e notas fiscais, ter máquina de cartão de crédito e tudo isso ajuda a prospectar novos e maiores clientes.

Uma das principais vantagens é justamente mudar de patamar. Sem a empresa, fica difícil negociar com outras pessoas jurídicas, pois não será fácil convencê-las a apostar na menor segurança de uma compra informal, mesmo que você reduza a sua margem de lucro ao máximo.

Para quem tem um sonho empreendedor, busca crescer e almeja o sucesso à frente de um negócio, a formalização é uma etapa imprescindível.

Como se diferenciar e ter sucesso

A experiência inicial na Páscoa já lhe dará importantes lições sobre como lidar com a concorrência. Esse aprendizado será constante em sua carreira empreendedora e é necessário estar atento para crescer nessas oportunidades.

Não é por que você terá uma pequena empresa que poderá parar no tempo. Ao contrário, é preciso se renovar, inovar e ser mais produtivo, fazendo mais em menos tempo. Isso irá lhe colocar em vantagem diante dos concorrentes.

Para aperfeiçoar processos, há ótimas técnicas de administração que podem ser aplicadas no seu dia a dia. Uma delas é a Análise SWOT, que foi traduzida para o português como FOFA. Basicamente, consiste em olhar para dentro da empresa e para o mercado e, com base em uma análise crítica, reconhecer forças e fraquezas e identificar ameaças e oportunidades.

Outra que vale citar é o benchmarking, que pode ser entendido como um olhar sobre o que o mercado faz e como faz, para que você faça melhor e diferente. O resultado de uma boa estratégia tende a aparecer no seu faturamento.

Vista o uniforme do bom gestor

Ao longo deste artigo, apresentamos opções para empreender na Páscoa 2017. Quem sabe não esteja aí a chance de uma nova e bem-sucedida empresa nascer?

Mas não podemos encerrar sem antes falar da gestão financeira. Você pode ter a melhor ideia de negócio, tirá-lo do papel com planejamento, cumprir todas as etapas de formalização e atrair muitos clientes, mas mesmo assim falir. Como isso é possível?

Ser empresário não basta, é preciso assumir o seu papel como gestor. Muitos negócios não sobrevivem devido a erros bobos, como misturar as finanças pessoais e empresariais, deixar de registrar pequenas despesas e não se dedicar ao controle financeiro.

Atualmente, a tecnologia tornou todo esse processo mais simples, ágil e fácil. Não vá dar bobeira e perder dinheiro de forma amadora. Vista o uniforme do bom gestor, coloque-se no lugar que a sua empresa espera e a conduza ao sucesso.Contabilidade para pequenas empresas  Preparamos um guia sobre a importância do contador e como encontrar o  profissional ideal para o seu negócio Baixar o guia agora

Você tem uma boa história empreendedora sobre ganhar dinheiro na Páscoa? Comente!

Newsletter

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?