5 dicas de empreendedorismo com Mark Zuckerberg

5 Dicas de empreendedorismo com Mark Zuckerberg

Em 2014, Mark Zuckerberg completou 30 anos. O empresário que controla o Facebook, a rede social mais acessada do mundo, ao contrário da maioria das pessoas da sua idade, está milionário: estima-se que a sua fortuna gire hoje em torno de 25 bilhões de dólares.

Um sistema de gestão que conecta as áreas da sua empresa: do financeiro ao comercial

E todo esse sucesso não é à toa: Zuckerberg soube aproveitar uma oportunidade e trabalhou duro para desenvolvê-la, o que faz de sua história um bom exemplo para empreendedores de todo o mundo. Confira abaixo alguns dos motivos que fizeram o sucesso de Mark Zuckerberg, um dos jovens empresários mais bem-sucedidos da história.

Paixão pelo que faz

Sem paixão pelo que faz, o empreendedor pode não aguentar a altíssima carga de trabalho necessária para um negócio dar certo. É fácil observar que a paixão é o que move empreendedores de sucesso, entre eles Mark Zuckerberg. O criador do Facebook é um apaixonado por programação e pela cultura da web – segundo ele, a missão do Facebook é conectar pessoas e fazer do mundo um lugar mais aberto, um dos pilares da cultura da internet.

Não tenha medo de inovar

O Facebook mudou bastante desde sua criação – o conceito de timeline, por exemplo, substituiu o conceito de “mural” que a rede social utilizava no início e o alcance orgânico das publicações corporativas diminuiu abruptamente, entre outras mudanças que foram sendo feitas ao longo do tempo.

Mesmo sob fortes críticas, as mudanças acabaram revelando-se necessárias para a sobrevivência do modelo de negócio do Facebook. O exemplo mostra que o empreendedor não deve se acomodar e precisa estar continuamente criando inovações para seus negócios, mesmo quando o time está ganhando.

Como abrir uma empresa? Passo a passo  Guia descomplicado para tirar as ideias do papel Baixar o guia agora

Sonhe grande

Se você quer alcançar o sucesso precisa mirar alto, sonhar grande! Referências medíocres trarão resultados medíocres. Mark Zuckerberg, por exemplo, viu desde cedo o potencial para ser um site mundial: como não tinha experiência de gestão e não sabia por onde começar a procurar investidores, associou-se a Sean Parker, empreendedor que, na época, era conhecido pelo sucesso com o Napster – contrariando seu colega e co-fundador, Eduardo Saverin,que acreditava que o empreendedor nem os receberia. O resultado é história é que no mesmo ano o Facebook conseguiu seu primeiro investidor, ultrapassando os muros de Harvard, onde surgiu.

Contrate as pessoas certas

Para trabalhar no Facebook, mais do que experiência e um diploma de uma universidade importante, o profissional precisa ser criativo, engajado e apaixonado pelo que faz. Isso porque esses são os valores que o criador da empresa acha relevante, e para trabalhar lá é necessário “comungar” deles.

A lição é válida para qualquer tipo de empresa: se a sua é do tipo familiar, mais tradicional, provavelmente promoverá um choque de culturas ao contratar um colaborador bastante jovem, que procura flexibilidade na jornada de trabalho e lida com a hierarquia de forma bastante diferente da de profissionais com mais idade. Além de experiência e formação, é preciso observar se o profissional “combina” com a sua empresa.

Um sistema de gestão que conecta as áreas da sua empresa: do financeiro ao comercial

Mantenha seus colaboradores motivados

Mark Zuckerberg, assim como alguns dos gestores das empresas mais bem-sucedidas do mundo, sabe que os profissionais mais inovadores são os que têm liberdade criativa em seus trabalhos. Por isso, no Facebook, os colaboradores podem empregar parte do seu tempo em seus projetos paralelos, desde que não interfiram no trabalho que precisam desenvolver na empresa.

É claro que essa foi uma solução que se encaixa bem no perfil da empresa, mas o exemplo ensina que, mais do que salário, é preciso motivar a equipe. Uma empresa mais tradicional pode focar nos benefícios oferecidos aos familiares, por exemplo. Já uma startup pode oferecer possibilidade de carreira e flexibilidade na jornada. Observe a cultura da sua empresa e o perfil de seus colaboradores e pergunte-se: o que essas pessoas realmente valorizam? Com o suporte adequado ao que é importante, a tendência é que você conte com funcionários altamente engajados em seus projetos.

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?