Controle financeiro empresarial: qual a importância e como gerenciar

Sobre o que estamos falando?

  • Sem dinheiro, não é possível tocar um negócio, mesmo que seja uma empresa filantrópica. Sem um bom controle financeiro empresarial, também não;
  • A insegurança de não saber se existe recurso suficiente em caixa para aplicar na empresa prejudica o crescimento. Por outro lado, fazer grandes investimentos sem essa certeza afeta negativamente a saúde financeira do negócio;
  • Dispense as anotações à mão e dê tchau às planilhas com a Conta Azul Pro, plataforma de gestão completa para empresas. Do estoque ao financeiro, passando pela contabilidade: monitore tudo em tempo real e com poucos cliques. Sem estresse.

Experimente grátis a Conta Azul!

 

 

Um dia, você bateu o martelo e decidiu abrir uma empresa, ou então, encontrou uma excelente oportunidade para ganhar dinheiro tendo o próprio negócio e colocou a mão na massa. Os produtos e/ou serviços oferecidos passaram a ser elogiados, e as vendas só aumentavam. 

Mas, com o passar do tempo, o financeiro começou a ficar confuso e já aconteceu de pagar multas por atraso? Diferenciar quem pagou o quê e cobrar o cliente certo virou um desafio? Encontrar uma informação simples virou um caos?

Isso acontece porque nem só de boas ideias, vontade e disposição sobrevive uma empresa. Para continuar expandindo o negócio, um bom controle financeiro empresarial é fundamental. Do contrário, o empreendedor terá dificuldades em tomar decisões importantes, como contratar mais um funcionário para o atendimento ou adquirir equipamentos. 

Quer saber tudo sobre o controle financeiro empresarial e por onde começar? Então você está no lugar certo: continue lendo e confira na prática o que fazer para gerenciar o dinheiro da sua empresa de uma forma eficiente. Acompanhe os seguintes tópicos:

Vídeo: Como fazer o controle financeiro da sua empresa

O controle financeiro empresarial tem como base a organização das finanças. Ele é essencial para você, empreendedor, gerenciar gastos, receitas e manter a saúde financeira da empresa. Para saber tudo sobre como fazer o controle financeiro da sua empresa, assista ao vídeo até o final!

 

 

O que é controle financeiro empresarial? 

Olhando este termo, o empreendedor pode acreditar ser algo complexo de entender. Ou então, que isso é apenas para grandes organizações. Mas independente do tamanho do negócio, da quantidade das vendas ou funcionários, quem empreende precisa (e deve!) cuidar bem do dinheiro da empresa.

Na prática, controle financeiro empresarial é monitorar e ter acesso rápido ao fluxo financeiro do negócio - ou seja, as entradas (recebimentos) e as saídas (pagamentos). Além disso, também é preciso saber quem está a frente de cada um desses processos e contar com o apoio da tecnologia.

A regra é clara: quando todas as informações relacionadas ao dinheiro da empresa não são atualizadas de uma forma automática, o risco de falhas é alto. Lançamentos errados, contas atrasadas e pagamento de multas são alguns deles.

A importância do controle financeiro empresarial 

Você anda percebendo que, mesmo vendendo bastante, as contas não fecham? Sente que, se contratasse mais funcionários, poderia agilizar o atendimento, porém, não consegue dizer se tem ou não verba para esse investimento?

O controle financeiro empresarial demonstra a clareza que o empreendedor precisa para tomar decisões com base em dados reais, identificar possíveis desafios antes que virem problemas maiores e encontrar soluções duradouras. 

Então, nada de “apagar incêndios”, como descobrir hoje que a taxa do Simples vence amanhã e não saber de onde tirar o dinheiro. Com uma boa gestão financeira, essas surpresas não acontecem.

Confira a seguir mais detalhes sobre a importância de gerenciar bem o financeiro da empresa.

Controlar gastos e despesas

Cortar gastos, despesas e economizar está sempre no radar de qualquer empreendedor. Porém, como fazer isso sem prejudicar as atividades da empresa? É nesse momento que o controle financeiro empresarial entra, oferecendo a clareza necessária para o dono do negócio sobre os gastos que podem ser reduzidos.

Afinal, de nada adianta cortar uma despesa se tal decisão terá um impacto negativo para a empresa. Um exemplo é reduzir o quadro de funcionários, quando a maior necessidade do empreendedor é ter mais pessoas para atender os clientes.

Acompanhar crescimento

Como saber que a empresa realmente cresceu? Nem sempre um volume de vendas mais alto, dependendo do tipo do produto ou serviço, significa lucro. Afinal, é preciso calcular todos os custos de produção, insumos utilizados, etc. 

Para quem está começando, é fácil fazer esta conta. No entanto, à medida que as vendas aumentam, o dono do negócio pode se perder nos cálculos. E, não há nada mais frustrante do que ver o dinheiro entrando na empresa e mesmo assim ter dificuldade em pagar as contas.

Fazendo um bom controle financeiro empresarial, o empreendedor acompanha melhor o crescimento do negócio, além de identificar o que deve ser ajustado para continuar lucrando. Um exemplo é o que falamos no tópico anterior, sobre contratar mais funcionários para atender melhor a demanda. 

Tomar decisões estratégicas baseadas em dados reais

Sabia que o negócio pode estar faturando mais do que imagina? Ou também, que pode estar acontecendo o contrário? Para ter certeza sobre a situação financeira da sua empresa, o empreendedor não pode contar achismos: é preciso analisar os dados reais

O controle financeiro empresarial dá ao dono do negócio a visão do que realmente acontece, contribuindo para a tomada de decisões assertivas. 

Estar preparado para encarar imprevistos

Não é possível prever o futuro de uma empresa e ter a certeza se ela será lucrativa ou não. Entretanto, o empreendedor pode estar preparado para imprevistos financeiros.

Isso só é possível com uma boa gestão financeira. Afinal, para poupar dinheiro para o caixa da empresa, é necessário que as contas estejam em dia. 

Planejar investimentos

Abrir uma filial, comprar mais equipamentos e contratar mais pessoas: para fazer um investimento assertivo no negócio é preciso estar com financeiro organizado

Outra vantagem de um bom controle financeiro é poder aproveitar melhor as oportunidades, como descontos e melhores condições de pagamento oferecidas por fornecedores. 

7 práticas para otimizar o controle financeiro

Para saber por onde começar a otimizar o controle financeiro, separamos 7 práticas que todo empreendedor precisa implantar na empresa para organizar as finanças do negócio.

1. Registrar um bom fluxo de caixa

O fluxo de caixa deve ser para o empreendedor uma espécie de “termômetro” do faturamento da empresa. O acompanhamento deve ser constante - semanal, quinzenal ou mensal - e os dados precisam ser atualizados em tempo real. 

Portanto, o primeiro passo para um controle financeiro empresarial eficiente, é analisar como é feito o fluxo de caixa da empresa e listar os principais gargalos do processo. 

2. Acompanhar índices de liquidez 

O segundo passo para organizar o financeiro da empresa é analisar o índice de liquidez. Trata-se de um indicador que mede a capacidade de uma empresa de quitar os débitos. Na prática, quanto mais condições a empresa tiver de pagar as contas, mais controlado estará o financeiro. 

Ao todo, existem quatro tipos principais de índices de liquidez. No controle financeiro empresarial, a liquidez corrente é a mais utilizada e sua fórmula é:

(ativo circulante + realizável a longo prazo) / (passivo circulante + exigível a longo prazo)

Onde:

  1. Ativo circulante é tudo o que a empresa possui e pode ser convertido em dinheiro, como as contas a receber;

  2. Realizável a longo prazo: são todos os bens da empresa adquiridos no período de um ano, considerando a data do último balanço patrimonial; 

  3. Passivo circulante: são todas as contas a pagar da empresa durante um ano;

  4. Exigível a longo prazo: representa todas as contas da empresa que irão se encerrar no período de um ano, como empréstimos e financiamentos. 

De acordo com o resultado obtido com a fórmula, é possível tirar algumas conclusões:

  • Maior que um: indica que o negócio é rentável, consegue pagar todos os seus débitos e ter uma sobra de valor;

  • Igual a um: a empresa consegue pagar as contas, mas também não sobra nada;

  • Menor que 1: a empresa não consegue arcar com todas as contas a curto prazo.

Geralmente esses cálculos são realizados pelo setor de contabilidade. Porém, é muito importante entender a importância desse indicador e saber o que ele significa para a empresa. 

3. Analisar margem de contribuição

Se você tem uma pizzaria e vende uma pizza por R$ 50, o lucro não é exatamente R$ 50, pois é necessário subtrair todos os custos para produção. 

O valor que “sobra” após este cálculo é o que chamamos de margem de contribuição, que pode ser encontrado aplicando a fórmula abaixo:

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

Não existe um valor considerado ideal para a margem de contribuição, já que este cálculo vai depender do tipo de atividade executada. No entanto, percentuais entre 20 e 30% são tidos como satisfatórios

4. Verificar ponto de equilíbrio

Se o empreendedor não sabe qual é o ponto de equilíbrio da empresa, o risco de ficar no vermelho é alto. Afinal, este indicador representa o quanto a empresa deve faturar para conseguir pagar todas as contas. 

Ainda sobre o exemplo da pizzaria: R$ 3.500 é a soma de todos os custos e despesas variáveis. Portanto, podemos dizer que este valor é o ponto de equilíbrio deste negócio. 

5. Calcular ROI

ROI é uma sigla em inglês que significa Retorno sobre o Investimento. Este índice, como o próprio nome já diz, serve para analisar se um investimento vale a pena ou não. A fórmula é:

ROI = (ganho obtido - valor do investimento) / valor do investimento

Vale lembrar que, quando falamos em investimento, estamos nos referindo a todas as ações executadas dentro de uma empresa com um objetivo de aumentar as vendas. 

Outro aspecto interessante é que o empreendedor também pode estimar uma meta de ROI para cada investimento/ação e acompanhá-la de perto. Calculando e acompanhando o ROI, é possível se planejar financeiramente, o que é muito importante para um controle financeiro efetivo

6. Manter um fundo de reserva

Ter um fundo de reserva evita o descontrole financeiro e a famosa “bola de neve” de dívidas. Afinal, diante de um imprevisto, nem sempre o empreendedor tem tempo suficiente para decidir de forma assertiva. Porém, com dinheiro em caixa, os impactos de resolver um problema de última hora são menores. 

Ao não contar com esse fundo, empreendedores resolvem determinados problemas prejudicando o financeiro do negócio.

7. Separar as contas pessoais das contas da empresa

Nada de retiradas do caixa ou de compras pessoais com o cartão de crédito da empresa: não misture esses gastos

Agora, se você já se encontra em uma situação cujo financeiro já está completamente misturado com os gastos pessoais, defina um valor e a data de pagamento do seu salário. Apesar de parecer inofensivo no começo, a falta dessa separação, com o passar do tempo, pode causar um descontrole financeiro e gerar prejuízos. 

Outra mudança importante é abrir contas bancárias específicas para cada caso, evitando receber pagamentos da empresa na conta pessoal.

A contabilidade é fundamental para a gestão financeira 

O contador muitas vezes é visto como apenas como o responsável por assegurar o pagamento dos impostos e o cumprimento das obrigações contábeis e fiscais. 

Além de cuidar dessas burocracias, o profissional deve atuar como parceiro estratégico do dono do negócio, interpretando os dados encontrados na contabilidade e oferecendo o melhor caminho para o empreendedor. 

Se o contador, por exemplo, identifica algum desalinhamento na DRE, como o aumento dos custos variáveis, seu papel deve ser conversar com o dono do negócio, para entender o que está acontecendo e ajudá-lo a encontrar soluções assertivas. 

Mas, para isso, o empreendedor também deve estar aberto a ouvir e entender as novas ideias por essa visão contábil e estratégica. 

Buscando um contador estratégico para cuidar da sua empresa? A Conta Azul te ajuda a encontrar este profissional: clique aqui para fazer uma busca! 

Faça controle financeiro do seu negócio com a Conta Azul Pro 

Um bom controle financeiro empresarial não é feito com anotações à mão e planilhas: é preciso da tecnologia para monitorar todos os dados do negócio, economizar tempo e dar adeus às falhas manuais. 

Conte com a Conta Azul Pro para monitorar o financeiro da empresa de forma otimizada! Com essa ferramenta online de gestão, todos os setores do negócio - estoque, financeiro, vendas e contabilidade - são integrados em um único local. 

Fez compras para o estoque? Vendeu? Pagou uma conta ou recebeu um pagamento? Todos esses lançamentos são atualizados automaticamente, em tempo real, sem que o empreendedor precise anotar nada, conferir ou consultar com os funcionários. 

Como resultado, os erros devido a processos manuais, como digitação de documentos ou preenchimento de planilhas, são eliminados. Outras vantagens da Conta Azul Pro são:

  • Monitoramento do estoque com notificações das quantidades mínimas. Assim, é possível fazer a reposição em tempo hábil;

  • Conciliação fiscal e das vendas automáticas;

  • Emissão descomplicada de notas fiscais e envio ao contador sem precisar de malotes;

  • Alertas sobre as datas de vencimento das suas contas e dos recebimentos;

  • Geração de relatórios bem detalhados, porém fáceis de entender;

  • Acesso gratuito ao App Conta Azul de Bolso, que permite o monitoramento do estoque e das vendas pelo seu celular. 

Que tal experimentar todas essas facilidades sem pagar nada? Clique aqui para testar a Conta Azul Pro sem compromisso!

Leia mais

Newsletter

Faça agora a gestão financeira do
seu negócio em um único lugar