Como separar despesas pessoais das contas da empresa: passo a passo

Não sabe o que é dinheiro seu e o que é do negócio? Veja em nosso guia como separar despesas pessoais das contas da empresa e descomplique.

Saber como separar despesas pessoais das contas da empresa é um conhecimento básico.

Afinal, fica difícil fazer um negócio crescer e até mesmo sobreviver se há descontrole financeiro.

Sacar do bolso para cobrir furos no caixa é uma péssima ideia, da mesma forma que retirar de lá para pagar boletos pessoais, por exemplo.

É provável que você até saiba disso, mas tenha dificuldades para entender o que é seu dinheiro e o que é dinheiro da empresa.

No dia a dia, pode ser uma missão difícil, mas estamos aqui para ajudar.

Siga a leitura e descubra como separar despesas pessoais das contas da empresa de um jeito descomplicado.

Controle o financeiro com um sistema integrado para sua empresa

Como separar despesas pessoais das contas da empresa

"Não sei o que é meu dinheiro e o que é dinheiro da empresa."

Você se identifica com isso?

Então, é hora de aprender a organizar as finanças pessoais e empresariais.

Comece por estas oito dicas:

1. Possua contas bancárias separadas


O óbvio precisa ser dito: não há como separar despesas pessoais das contas da empresa se elas não estiverem, de fato, separadas.

Se você utilizar a mesma conta bancária para as duas finalidades, a chance de confusão é muito maior.

Estamos falando sobre gerir todos os boletos da sua casa (luz, aluguel, condomínio, internet, seguro do carro) e os compromissos comerciais (salários dos colaboradores, taxas de máquinas de cartões de crédito, pagamento a fornecedores) na mesma conta.

Controlar entradas e saídas dessa forma fica muito mais difícil.

Ainda que existam custos para manutenção de duas contas e serviços bancários, essa não é uma economia positiva.

Além disso, diversos bancos oferecem benefícios para abertura de contas para pessoas jurídicas, como condições especiais e isenção de taxas, por exemplo.

2. Atualize o fluxo de caixa

Não há segredos: quando o assunto é finanças, a ordem é ter controle e muita organização. 

Para isso, é preciso contar com um fluxo de caixa atualizado. 

Nele, você registra todas as entradas e saídas, não importa o valor.

Isso o habilita a ter um gerenciamento mais assertivo dos pagamentos realizados, recebidos e demais pendências.

Planilhas de fluxo de caixa podem ajudar nessa missão, mas é um bom ERP que torna essa rotina de atualização muito mais automatizada.

3. Controle as movimentações financeiras


O fluxo de caixa é muito útil para a gestão financeira do seu negócio, mas é necessário tomar outros cuidados para que os recursos empresariais não se misturem com os pessoais.

Principalmente em empresas familiares, é relativamente comum que os sócios usem o saldo operacional para pagar alguma conta particular.

Em um primeiro momento, isso pode parecer bobagem, mas quando se transforma em hábito, tende a gerar muitos problemas.

O ideal é não misturar as duas esferas, mas, caso isso aconteça eventualmente, não esqueça de deixar tudo bem discriminado.

Outro tópico que merece atenção é evitar utilizar o serviço dos seus funcionários para fins pessoais. 

Até porque, indiretamente, você vai estar pagando os colaboradores com receitas da empresas para assuntos de seu interesse - e não do negócio.

4. Defina o valor da sua remuneração e dos sócios


Quando se é empregado, você sabe exatamente o valor e a data que vai receber o seu salário, não é mesmo?

Então, por que no seu próprio negócio precisa ser diferente?

Na verdade, não deve ser. 

Você e seus sócios precisam definir um pró-labore.

Embora não seja um salário, na prática, ele funciona como uma justa remuneração pelos seus serviços à frente da empresa.

É o que evita, muitas vezes, recorrer ao dinheiro que é do negócio e não seu. 

Também podem ser definidos parâmetros para o resgate mensal ou em outra periodicidade da distribuição dos lucros

Como as retiradas vão fazer parte do orçamento mensal da empresa, fica mais fácil criar um planejamento pessoal e administrar os gastos particulares.

Sempre lembrando que é importante ter uma reserva na empresa para manter um capital de giro e garantir o desenvolvimento do negócio.

5. Tenha um diagnóstico financeiro


Todas as dicas trazidas até aqui vão ajudar na tarefa de como separar despesas pessoais das contas da empresa, mas elas serão em vão se você não tiver um diagnóstico financeiro.

Só ele vai fazer com que você consiga visualizar as receitas e despesas da empresa de forma abrangente, tendo um controle mais assertivo do seu orçamento.

Anote as movimentações financeiras do seu negócio e também a origem de cada processo de entrada e saída. 

De forma concomitante, repita esses passos com as despesas pessoais para traçar um panorama completo da sua condição financeira.

É aqui que você vai encontrar oportunidades de aumentar sua renda, realizar investimentos e cortar eventuais gastos desnecessários. 

Para conseguir manter um equilíbrio entre as despesas pessoais e empresariais, realize comparativos entre as duas áreas.

E, sempre que possível, conte com o apoio de um contador nessa tarefa.

Escolha um Contador Parceiro Conta Azul para ajudar na contabilidade sua empresa

6. Segmente seus gastos


O seu controle e diagnóstico financeiro vai ser muito mais assertivo se você conseguir segmentar seus gastos.

Tanto no âmbito pessoal quanto profissional, procure categorizar suas despesas

Fuja das divisões básicas (despesas fixas e variáveis) e detalhe com maior precisão esses grupos.

Quanto mais informações você conseguir agregar, mais previsibilidade terá e menos chances de fazer confusões também.

7. Se antecipe aos imprevistos


Mesmo com toda a organização e o controle das suas finanças, ninguém está livre de passar por algum imprevisto.

Para isso, é fundamental contar com reservas financeiras, tanto para fins pessoais, quanto para emergências profissionais.

Esse tipo de postura evita que você recorra ao caixa da empresa para cobrir algum custo de casa e vice-versa.

A dica aqui é separar um percentual fixo do seu pró-labore para um fundo pessoal e uma outra parte para aplicações no seu negócio.

O ideal é não deixar esse dinheiro parado e procurar algum investimento que se encaixe no seu perfil de investidor.

8. Busque ajuda especializada


Separar as despesas pessoais das contas da empresa é um desafio que você não deve encarar sozinho

Não há dúvidas que todas as dicas trazidas aqui podem ajudar você nessa difícil missão, mas há particularidades que exigem recorrer a um bom contador.

Ele é o especialista ideal para oferecer o suporte na hora de honrar com suas obrigações tributárias e compromissos fiscais. 

Além dele, muito ajuda contar com o apoio da tecnologia.

E, para isso, sua melhor escolha é o ERP Conta Azul, que conta com recursos completos e intuitivos para profissionalizar a gestão do seu negócio.

Que tal começar agora?

Aproveite para comentar o que achou das dicas e se você também tem algo a dizer sobre como separar despesas pessoais das contas da empresa.

Um sistema de gestão que conecta as áreas da sua empresa: do financeiro ao comercial

Newsletter

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?