Como melhorar o fluxo de caixa de uma empresa: 9 dicas imperdíveis

Sobre o que estamos falando?

  • Investir no conhecimento de como melhorar o fluxo de caixa de uma empresa é indispensável para qualquer empreendedor, independente de ele ter afinidade ou não com operações de organização financeira;
  • Acompanhar as movimentações financeiras do negócio ajuda a identificar gargalos, rentabilidade da empresa, possíveis roubos, problemas administrativos, falhas na gestão tributária, caixa disponível para investimento e muito mais;
  • Centralize a administração financeira e integre a todas as outras áreas do negócio com a Conta Azul Pro, diminuindo chances de erro e o tempo investido em contabilização, tomadas de decisões e emissões de relatórios.

Experimente grátis a Conta Azul!

 

 

É verdade que não é necessário o empreendedor se formar em administração para alcançar o sucesso. Mas, nesse caso, ele precisará contar com a ajuda de profissionais, ferramentas de gestão e estudar como melhorar o fluxo de caixa de uma empresa.

Gosto e aptidão por gestão financeira com certeza ajudam, mas mesmo se não for essa a realidade, é possível aprender a gerir o dinheiro. Até para terceirizar essa atividade o empreendedor deve saber avaliar os profissionais e as ferramentas contratados.

No entanto, não precisa ir longe para aprimorar a gestão financeira. Aqui no blog da Conta Azul, compartilhamos muitos conhecimentos que ajudam a guiar essas operações. E, desta vez, daremos 9 dicas para melhorar o fluxo de caixa do seu negócio!

Faça uma boa leitura! 

A importância de saber como melhorar o fluxo de caixa de uma empresa 

Nenhum negócio se sustenta só de sonhos e vontade. Sem dinheiro, não se compra, não se vende, não se contrata, nem se mantém o CNPJ. Ao optar por aprender a como melhorar o fluxo de caixa, o empreendedor domina essas movimentações em vez de ser engolido por elas.

O fluxo de caixa é o que mostra quanto dinheiro o empreendedor tem e pode investir, por exemplo. Como é possível montar uma estratégia de expansão sem conhecer os recursos disponíveis?

Também, não saber de onde vem e para onde vai cada centavo cria complicações com a Receita Federal. A partir do momento em que as declarações não baterem com os dados reais, o Fisco questionará a legalidade da administração. Se falar que tem menos, suspeita de sonegação. Se falar que tem mais, suspeita de lavagem de dinheiro.

Mas esses são momentos pontuais da jornada do negócio. O fluxo de caixa impacta no dia a dia da empresa. Cada lápis e café deve estar anotado. A falta de conhecimento sobre a situação financeira levará, eventualmente, a contrair mais contas do que consegue pagar. 

O prejuízo do negócio é o menor dos problemas nesse caso. A falta de recursos pode resultar em inadimplência de impostos, atraso no pagamento de fornecedores e salário de colaboradores. Multas e processos judiciais levarão a grandes déficits.

No entanto, não queremos assustar você. O fluxo de caixa de uma empresa é como a alimentação de uma pessoa. O descuido pode levar a consequências drásticas, mas o monitoramento e a administração adequados a transformam em um atleta, capaz de escalar qualquer montanha de sucesso.

Melhore o seu fluxo de caixa: 9 dicas imperdíveis

Há 9 dicas importantes para quem quer saber como melhorar o fluxo de caixa do negócio. No entanto, a aplicação delas dependerá da realidade de cada empreendedor. Não existe uma fórmula matemática pré-definida para toda e qualquer empresa.

Diferentes segmentos, modelos de empresa e metodologias administrativas apresentam necessidades igualmente diferentes. Não se monitora contas de um restaurante da mesma forma que se faz com um negócio de infoprodutos.

As 9 dicas abaixo servem para serem estudadas e adaptadas para cada situação. Se você quiser aplicá-las com precisão em todos os detalhes, fará bem em contar com a ajuda de um contador.

Use nosso buscador para encontrar um bom contador na sua região.

Dica 1. Registre todas as movimentações

Não importa o valor, toda e qualquer movimentação financeira deve ser registrada: seja entrada, saída ou interna. Dessa forma, é possível saber para onde vão os gastos, qual a soma das pequenas despesas, o que facilita encontrar possíveis desperdícios de dinheiro.

Anotar no papel não é a melhor forma de fazer esse registro. Utilizar planilhas de administração financeira ou plataformas de gestão integrada (ERPs) ajudam a organizar esses valores e relacioná-los. Cálculos financeiros devem sempre ser precisos.

Aprenda a fazer uma planilha de controle financeiro empresarial e baixe um modelo pronto.

Dica 2. Categorize as movimentações

É importante separar tudo em categorias diferentes. Dessa forma, se torna possível identificar quais são os principais tipos de entradas e saídas de dinheiro, assim como rastrear as movimentações. 

Essa dica ajuda a identificar gargalos, quais operações internas estão lucrativas ou prejudiciais e na declaração de impostos. Além disso, também é possível descobrir problemas de furtos, desvios de recursos internos e dificuldades nas operações.

Dica 3. Verifique o fluxo de caixa diariamente

Ter um acompanhamento diário da movimentação ajuda a prever qualquer surpresa antes que seja tarde demais, afinal, o fluxo garante que você possa se planejar. E isso se refere a todas as operações, principalmente ao fechamento de caixa.

Toda empresa precisa saber com quanto dinheiro começou e terminou o dia. Cada real que sai ou entra em caixa precisa ser monitorado. Um erro por dia resulta em centenas de erros no mês.

Dica 4. Lembre-se que venda nem sempre é recebimento

É muito comum fazer uma venda e registrá-la no caderninho. Mas fique atento, pois só é movimentação financeira quando é um valor já recebido. Portanto, vendas a prazo não têm lugar no fluxo.

Um cliente pode não pagar as parcelas a tempo, por exemplo. Ainda, é possível que o vencimento caia em final de semana ou feriado, e o dinheiro só entre no próximo dia útil. Muitas coisas podem atrapalhar a entrada dos ganhos.

Dica 5. Gerencie o estoque

O gerenciamento de estoque é necessário para qualquer empresa e isso não inclui apenas as que vendem produtos. Negócios que oferecem serviços também podem precisar de insumos para operar ou materiais de consumo interno, como o Post-It do orçamento de uma agência (presencial) de marketing ou as pastas de um escritório de advocacia.

No entanto, sim, algumas empresas podem enfrentar mais problemas nessa operação. Os negócios do ramo alimentício não cuidam apenas da quantidade de estoque, mas também de validade e capacidade de armazenamento. 

Baixe nossa planilha gratuita de controle de estoque!

Dica 6. Planeje a longo e curto prazo

Através do fluxo de caixa é possível fazer uma projeção média para todo o ano, avaliar diferentes cenários e já se preparar para as mais inesperadas adversidades. Estipule no seu plano mensal todas as entradas e saídas.

Assim, compare no final do mês o que você planejou com o fluxo real. Ao seguir essa dica, ficará muito mais fácil saber quais foram os gastos inesperados e como fazer para evitá-los no futuro.

Dica 7. Faça comparações

O fluxo de caixa é uma ferramenta muito mais forte quando comparado a outros controles financeiros. Ao comparar ele com o controle de contas a receber pode-se melhorar a cobrança de clientes devedores, por exemplo.

É importante notar que o empreendedor não deve optar por um ou outro instrumento. Todas elas são complementares e desempenham papéis diferentes na gestão financeira da empresa. E é por isso que sempre aconselhamos usar soluções digitais que otimizem e simplifiquem a administração do negócio.

Dica 8. Seja realista

É extremamente importante que todos os dados usados para fazer o fluxo de caixa sejam baseados na realidade da empresa e do mercado. De nada adianta almejar um fluxo de caixa positivo enquanto o mercado estiver em baixa e você não tiver preparo para enfrentar isso.

Dica 9: conte com uma plataforma de gestão financeira

Mencionamos diversas ferramentas nas nossas dicas e todas elas podem ser úteis. No entanto, é preciso reforçar que só existe uma solução de ponta para quem quer saber como melhorar o fluxo de caixa. E se trata de uma plataforma de gestão integrada, o ERP.

Essa ferramenta digital permite que o empreendedor centralize todas as informações administrativas da empresa. No entanto, não vale a pena usar qualquer uma. Há uma diferença entre fazer contas em um guardanapo e em cadernos planilhados criados para esse fim. Ela é maior ainda quando comparamos ERPs no geral com a Conta Azul Pro.

A Conta Azul Pro oferece:

  • Organização de contas a pagar e a receber;

  • Cadastro completo de colaboradores, clientes, fornecedores, transportadoras, produtos e serviços;

  • Gestão de clientes inadimplentes;

  • Emissão de boletos bancários e notas fiscais facilitada ou automatizada, conforme sua preferência de controle de cobrança;

  • Monitoramento de estoque que envia notificações sempre que algum produto, matéria-prima ou material de consumo interno do negócio chegar a quantidades mínimas;

  • Conciliações bancária e tributária simplificadas ou automatizadas, conforme a sua preferência administrativa;

  • Integração com plataformas para contadores, enviando em tempo real as informações para que ele opere de forma precisa e ágil;

  • E muito mais!

Tudo isso está disponível de forma gratuita para você testar! Use a Conta Azul Pro agora!

Leia mais:

Newsletter

Faça agora a gestão financeira do
seu negócio em um único lugar