Como calcular o Markup e por que usar essa precificação

Sobre o que estamos falando?

  • Markup é um cálculo preciso de precificação que considera os custos fixos, variáveis e de produção, assim como a margem de lucro desejada ou praticada; 
  • No entanto, não dá para ele ser o único fator para determinar os preços de determinado produto ou serviço. O markup é apenas um passo nas estratégias de precificação;
  • Número aqui, soma ali, multiplica lá. São muitos dados a serem anotados, calculados e reconsiderados, pois a precificação é uma operação delicada e variável. Use a Conta Azul Pro para ajudar nessas horas.

Experimente grátis a Conta Azul!

 

 

O markup é uma estratégia de precificação muito precisa e que dá ao empreendedor mais domínio sobre o próprio negócio. Ele serve para todos os tipos de empresas, mas é indicado para se usar no cálculo de preços de produtos.

É comum ensinarem que ele é uma forma de precificar a partir do custo de produção, mas é um cálculo bem mais complexo. O markup é uma soma de diversos valores que, juntos ao custo de produção, trazem uma sugestão de preço.

Por isso, é importante aprender o que é o markup, seus benefícios, como calcular e que outras táticas você pode aliar para chegar nos preços ideais para os produtos.

Descubra tudo isso abaixo com os tópicos:

Como saber se o Markup é para o meu negócio? 

A verdade é que o markup funciona para qualquer negócio. Porém, alguns podem ter variáveis demais e dar mais trabalho na hora de fazer esse cálculo, como no caso de empresas prestadoras de serviço.

Fica melhor de entender essa resposta se soubermos o que é e o que compõe o markup. Primeiramente saiba que se trata de uma estratégia de precificação de um produto que considera todos os custos que a empresa tem como produção, manter o negócio ativo, e margem/estimativa de lucro.

Dessa forma, sempre que um cliente compra um produto seu, você garante que a venda possa cobrir todos os gastos. Ao menos proporcionalmente, visto que o empreendedor não vai colocar no preço total dos custos em uma unidade. Na explicação de cálculo, mais a frente, isso ficará mais claro.

Startups também se mostram beneficiárias dessa fórmula de precificação. O markup é um ótimo valor que podem usar para mostrar aos investidores a rentabilidade da empresa e sua habilidade com gestão financeira.

Pensando nisso, lembre-se que o markup não deve ser usado sozinho na precificação. Há outros fatores a serem considerados na estratégia e que traremos mais à frente.

Agora, vamos ao que compõe o markup.

Custos fixos da empresa

Toda empresa possui gastos fixos para funcionar: aluguel da loja, funcionários, água, luz, impostos de taxa fixa e todos os valores recorrentes de todos os meses.

Mesmo empreendedor digital possui esse tipo de custo como, por exemplo, luz, telefone e principalmente a internet. Sem ela, dificilmente seu negócio continua funcionando.

Descubra os gastos fixos e variáveis de um restaurante e como reduzi-los.

Custos variáveis da empresa

Há alguns custos que podem variar e, com eles, o markup precisará ser recalculado. A luz, matéria-prima ou até mesmo o frete, cujo volume muda conforme a localização, são alguns exemplos. 

Outro custo variável que pode ser observado é a tributação, pois há muitos impostos taxados de forma diferente a cada mês.

Uma observação importante: o frete, um custo variável, deve ser dividido pelos produtos vendidos. Se você gastar R$ 20 para enviar 2 mercadorias para seu cliente, então cada um custou R$ 10. 

Saiba como reduzir custos com frete.

Margem de lucro/lucro estimado

Lucro é o quanto vai realmente para a conta da empresa a partir da mercadoria. Dessa forma, sempre que o empreendedor pegar o preço de venda e retirar tudo que foi gasto para que seu produto ou serviço chegasse ao cliente, o que sobrar é a sua margem de lucro.

Aprenda mais sobre margem de lucro.

Custo de produção

Esses são os custos com matéria-prima, mão de obra e todos os outros recursos envolvidos na produção da mercadoria ou prestação de serviço.

É importante entender que o custo de produção não constitui o markup. Isso porque ele é utilizado na precificação do produto justamente na sua relação com o valor da produção.

Ficou confuso? Abaixo, vamos ensinar o passo a passo com exemplos práticos e ficará mais fácil entender.

Quais os benefícios da precificação markup?

É comum que empreendedores ajustem os preços conforme a concorrência, julgando que isso agregue na vantagem competitiva. O problema é que dois negócios que vendam o mesmo produto não necessariamente têm os mesmos custos ou têm o mesmo posicionamento de marca.

O markup traz inúmeros benefícios para a estratégia de precificação e concorrência para a sua empresa. Descubra os principais:

Conhecer melhor as operações da sua empresa

O markup é composto pelos custos da empresa e a margem ou estimativa de lucro. Então, logo ele se torna uma ótima oportunidade de conhecer melhor o seu próprio negócio.

Afinal, ao dominar a realidade operacional da empresa e quanto ela custa, fica mais fácil de tomar decisões de expansão ou redução de investimentos, otimização de setores, etc.

Sendo assim, se ao calcular o preço de venda do produto ou serviço, o valor fique incompatível com suas estratégias, poderá ser necessário rever toda a operação.

A Estratégia do Oceano Azul tem boas técnicas para validar seu preço final.

Comparação de mercado

Usar o markup na precificação do seu produto permite ter uma visão melhor de onde seu negócio está em comparação à concorrência. Porém, evite cair na guerra dos preços.

O objetivo não é ser o mais barato, mas sim ter um referencial para saber onde o empreendedor quer se colocar na competição.

Posicionamento de marca

Você prefere lucrar R$ 10 por cliente e ter 10 clientes ou lucrar R$ 100 por venda, mas vender só uma vez?

Se a sua resposta for qualquer uma das opções, em vez de “depende”, reveja suas táticas de precificação. Afinal de contas, preços não são apenas uma ferramenta para garantir lucro. Eles servem para posicionar a sua marca no mercado.

Colocar valores mais baixos aumenta a acessibilidade que o público tem ao produto. Da mesma forma, preços mais altos mostram uma certa autovalorização.

Por exemplo, certa vez, a Louis Vouitton, marca de bolsas, estava aumentando sua quantidade de clientes. Isso porque um público de classe alta estava com um poder de compra maior e permitia adquirir.

O que acontece é que ela é uma marca que vende para camadas ainda mais altas, que estavam incomodadas com a “popularização” do produto. Como resposta, a Louis Vouitton subiu os preços dos produtos.

Conheça 8 técnicas de branding digital para aplicar no seu negócio.

Precificação estratégica

Comparação com o mercado e posicionamento de marca são dois exemplos onde a precificação se torna estratégica. No entanto, o markup ajuda em outras instâncias também onde você precisar repensar o preço.

Por ele dar uma perspectiva real de quanto o empreendedor ganha por venda — e o quanto custa não vender — você consegue calcular melhor as suas estratégias.

Captação de investidores

Empresas em geral, mas especialmente startups, costumam procurar por investidores para aumentar os recursos, aprimorar processos e expandir operações. Porém, se quiser convencê-los a colocar dinheiro, precisará mostrar a lucratividade do negócio.

O markup é um ótimo demonstrativo da saúde financeira de qualquer empresa e uma prova da sustentabilidade dela, além de mostrar que você tem bastante domínio sobre o seu negócio, o que pesará mais.

Conheça Camila Farani, uma das maiores investidoras-anjo do Brasil.

Passo a Passo para calcular o Markup na precificação

 

Defina seus custos operacionais

Conforme ensinamos acima, os custos vêm de receitas fixas e receitas variáveis. O quanto o administrador de uma empresa gasta de aluguel, por exemplo, é um dos seus custos fixos.

Você tem quatro valores a definir:

  • Custo de produção;

  • Custos fixos;

  • Custos variáveis;

  • Margem de lucro ou lucro estimado.

Distribua esses custos entre seus produtos

Se você tem uma padaria, não vai botar o aluguel inteiro da loja em cada pão francês. Logo, dos custos fixos e variáveis, assim como parte dos custos de produção, apenas uma porcentagem será imputada por venda.

Vamos, considerar as seguintes porcentagens do preço do seu produto e seus respectivos destinos:

  • 12% direcionados para os custos fixos (CF);

  • 10% direcionados para os custos variáveis (CV);

  • 11% deve ser para lucro (L).

E vamos considerar que o custo de mão de obra somado à matéria-prima seja de R$ 30.

Calcule o markup

O markup é calculado desta forma, onde usamos apenas o módulo das porcentagens:

Markup = 100/[100 - (CF + CV +L)]

Substituindo pelos valores do exemplo no tópico anterior, temos:

Markup = 100/[100 - (12 + 10 + 50)]

Markup = 100/[100-72]

Markup = 100/28

Markup = 3,57

Multiplique pelo custo de produção

Para usar o markup no cálculo do preço da venda, multiplique esse valor pelo custo de produção do produto. No exemplo, escolhemos que seria R$ 30.

Preço de venda = custo de produção * markup

Preço de venda = 30 * 3,57

Preço de venda = R$ 107,10

Precificação de forma otimizada com a Conta Azul Pro

A fórmula do markup depende de você ter um grande domínio sobre os custos operacionais da sua empresa. E, como vimos, a precificação depende de vários fatores além dessa estratégia.

Logo, uma gestão financeira dinâmica, precisa e otimizada é necessária para colocar o preço certo no seu produto ou serviço. E a melhor ferramenta para isso é a plataforma de gestão integrada Conta Azul Pro.

Com ela, você pode:

  • Monitorar compras e vendas de produtos, insumos e material de escritório;

  • Administrar pagamento de contas fixas e variáveis, tendo acesso imediato e simplificado aos dados necessários para calcular o markup;

  • Cadastro de clientes, produtos, serviços, transportadoras e fornecedores;

  • Integrar-se com a Conta Azul Mais, ferramenta gratuita para contadores parceiros, enviando em tempo real os dados que eles precisam para prestar seus serviços;

  • E muito mais.

Usar a Conta Azul Pro é mais fácil do que matemática. Faça o teste grátis agora mesmo!

Leia mais:

Newsletter

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:*