Avaliar seu negócio: como e por que fazer

Veja como avaliar negócio

Se você acredita que avaliar negócio é importante apenas para vender a empresa, é bom rever seus conceitos. Pelas mais variadas razões, o empreendimento se beneficia da aplicação de métodos que definem o seu valor, inclusive para atrair investimentos e fazê-lo crescer.

Tome decisões certas em sua empresa com os relatórios do ContaAzul, sistema de gestão completo

Quando avaliar negócio é uma boa ideia

Em diversos cenários, a avaliação de valor do negócio é importante. Em todas elas, há benefícios para a empresa, que variam conforme o objetivo desejado. Entre os mais comuns, estão:

  • Encontrar o melhor acordo possível para vender sua empresa
  • Receber investimentos, possibilitando ao investidor identificar um negócio atrativo
  • Em cenários de sucessão de sócios ou troca de proprietário
  • Quando há interesse em medir a qualidade da gestão
  • Ao confrontar expectativas de crescimento com a realidade do mercado
  • Se a empresa pretende negociar ações na Bolsa de Valores.

Na realidade das pequenas empresas, projetar crescimento, receber investimentos e encontrar o melhor negócio na venda são as razões mais comuns para realizar a avaliação, destaca a administradora e contadora Carla Regina Silva Martins, especialista em finanças empresariais e consultora da empresa Integrada Soluções Empresariais.

Segundo ela, são realizadas projeções que consideram aspectos como receitas e despesas, dados do setor e tendências de investimentos. Também informações sobre o patrimônio e o histórico do negócio são consideradas. “Quanto menos tempo de mercado, mais difícil é trabalhar o seu valor, pois não há um histórico que mostre como a empresa evoluiu”, exemplifica.

Uma análise do mercado em que o empreendedor atua também não pode ficar de fora. Como exemplo, a especialista cita um negócio no ramo de cosméticos que identifique em estudo que as linhas masculinas tendem a conquistar uma importante fatia e que o investimento nelas surtirá efeito na lucratividade. “Toda informação contribui para a projeção”, destaca.

Ainda de acordo com Carla, o método mais eficaz para o perfil de pequenas empresas é o do chamado fluxo de caixa descontado, sendo por isso o mais utilizado, embora não seja o único e tampouco definitivo - muitas variáveis são bastante subjetivas e o resultado final está sujeito ainda a interferências externas, como as motivadas pelo cenário econômico do momento.

Métodos para avaliação do negócio

Se você está convencido de que a avaliação do negócio é uma boa ideia para a sua empresa no momento, a dica é primeiramente conversar com o profissional responsável por sua contabilidade. “Esse é um cálculo mais apropriado para um contador fazer do que um administrador”, sugere Carla.

Mas o empreendedor precisa participar, inicialmente fornecendo todas as informações necessárias, como abrir o fluxo de caixa. Se o contador já acompanha os processos na empresa e há algum sistema de gestão em funcionamento, fica mais fácil identificar receitas e despesas, contas a pagar e a receber, por exemplo, que fornecem informações importantes.

Com os dados em mãos e considerando ainda o patrimônio, bens físicos, ativos e passivos existentes, é possível aplicar uma das metodologias para avaliar negócio, o que pode ser feito por consultoria ou auditoria especializada no tema.

Fluxo de caixa descontado

É a metodologia mais utilizada pelas pequenas empresas porque gera os resultados mais precisos e também por ser a de mais fácil aplicabilidade. Ela aponta qual será o fluxo de caixa futuro da empresa. Para isso, identifica os recursos financeiros gerados no negócio, trazendo-os aos valores atuais - o que é possível com a determinação da taxa de desconto, que considera tempo e riscos associados às projeções.

Segundo Carla, essa estimativa é feita por um prazo de cinco anos e o chamado valor presente é obtido ao aplicar uma taxa de juros. Para melhor compreensão, veja o exemplo:

  • Considere que o faturamento anual aguardado seja de R$ 100 mil pelos próximos cinco anos (ou seja, chegará a R$ 500 mil em cinco anos)
  • A cada ano, é preciso descontar uma taxa pré-definida, como 12% - que reduziria o valor para R$ 88 mil anuais
  • Ao final, você encontrará a quantia de R$ 440 mil - que corresponde ao valor presente do seu negócio, de acordo com essa projeção.

Importante: esse é um exemplo bastante básico, mas é preciso considerar que muito dificilmente seu faturamento será linear, repetindo-se anos após anos. Também há outras variáveis que entram na conta, resultando em cálculos mais complexos. Recorrer a uma planilha que o auxilie a implementar o fluxo de caixa descontado pode ser uma boa saída.

Balanço patrimonial

O balanço patrimonial já é uma obrigação para empresas no Brasil, exceto para aquelas registradas como MEI. Mais do que uma demonstração contábil a cargo do contador, pode ser utilizada como avaliação do valor do negócio por empreendimentos cujos bens podem gerar ganho econômico futuro.

Basicamente, seu cálculo considera três personagens: ativo, passivos e o patrimônio líquido - este último é obtido após a subtração do primeiro pelo segundo.

Como é um método mais matemático do que econômico e não considera outros fatores que afetam o valor de uma empresa, mas não aparecem nas demonstrações contábeis, acaba sendo menos utilizado com a finalidade de avaliar o negócio.

Goodwill

Neste modelo, o balanço patrimonial é novamente contemplado, mas o método não fica restrito a ele e reúne ainda valores intangíveis que não são vistos na contabilidade e que se caracterizam pela expectativa de lucro futuro, como a carteira de clientes e a posição da empresa no mercado, além das alianças e parcerias realizadas.

Justamente por reunir valores intangíveis é que a aplicabilidade da metodologia torna-se difícil, pois não há consenso para determinar o peso de cada um na projeção final aplicada ao negócio.

Valor contábil ou valor contábil ajustado

Nestas duas metodologias, o valor do patrimônio líquido, obtido a partir do balanço patrimonial, é acompanhado de dados sobre o capital social, receitas, reservas e prejuízos acumulados.

Na primeira, o problema está na falta de alinhamento entre o valor contábil e o valor de mercado da empresa, que corresponde ao que se busca como resultado ao avaliar negócio. De certo modo, essa deficiência é corrigida no método ajustado, que atualiza os números de ativos e passivos ao valor de mercado.

Como escolher a melhor opção

Além dos métodos citados, há ainda modelos de avaliação do valor do negócio que consideram seus dividendos e até mesmo o volume de vendas, com especificidades que podem ser aplicadas a determinados tipos de empresas. Se está na dúvida sobre qual método adotar, converse com seu contador e busque auxílio especializado.

O que fica como recado final deste artigo é mesmo a validade de avaliar seu negócio a qualquer tempo, usando a informação obtida como base para as suas decisões estratégicas de gestão empresarial.

E lembre ainda que, sempre que houver mudança no cenário, como diferenças na receita média e gasto médio, ou algum novo investimento, é preciso ajustar também o valor de avaliação do negócio.

Manual do corte de custos inteligente  Preparamos um guia para explicar como cortar custos de sua empresa Baixe agora

Ficou com dúvidas para avaliar seu negócio? Comente.

Newsletter

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?