Como a análise de preços alavanca as vendas de fim de ano?

Sobre o que estamos falando?

  • A análise de preços ajuda os empreendedores a verificarem se os preços praticados por eles fazem sentido ou não. Veja o que é importante considerar neste processo;
  • Acompanhar o mercado é muito importante. Veja como fazer isso e conheça 3 estratégias de precificação bastante utilizadas;
  • Com a Conta Azul, você tem acesso aos dados dos setores mais importantes da empresa, como estoque, vendas e fluxo de caixa, tudo integrado ao financeiro e à contabilidade e atualizado em tempo real.

Experimente grátis a Conta Azul!

 

 

“Achei muito caro, não vou comprar.”

“Nossa, como está barato, vou levar tudo!”

Definir quanto cobrar pelos produtos e serviços é um pouco desafiador, concorda?

Porém, com a análise de preços, fica muito mais fácil descobrir se você está indo no caminho certo ou não com a sua precificação. 

Continue a leitura para entender de uma vez por todas o que realmente é uma análise de preços e como fazer a sua!

Neste post, você irá encontrar:

Como-a-analise-de-precos-alavanca-as-vendas-de-fim-de-ano

O que é e como fazer a análise de preços dos meus produtos?

A análise de preços, como o próprio nome já diz, é o estudo da precificação dos produtos e serviços de uma empresa, para saber se os preços praticados por ela fazem sentido ou não.

Afinal, saber se o seu preço está muito alto ou bem abaixo do que é praticado no mercado é muito importante. 

Conforme dados do relatório Trust Barometer 2020, que ouviu mais de 22 mil pessoas em 11 países, no Brasil, o preço foi considerado por 71% dos entrevistados como atributo importante para a fidelidade a uma marca.

No mesmo estudo, 69% dos brasileiros afirmam que o preço é considerado na hora de consumir novos produtos ou serviços. 

Longe de ser uma apenas uma comparação com a concorrência do quanto uma empresa cobra pelos produtos ou serviços, a análise de preços considera outros fatores. Veja quais são eles.

  1. Considere os últimos investimentos

Saber quanto você precisa investir para produzir uma unidade de um produto ou a cada sessão de algum procedimento é o primeiro passo da análise de preços.

Aqui, é importante considerar matérias-primas, seus custos fixos (aluguel, água e energia elétrica) como também o valor da sua hora de trabalho ou dos seus colaboradores. 

   2. Verifique se os clientes identificam o valor que seu produto ou serviço entrega


O preço é quanto uma empresa cobra por um produto ou serviço. Já o valor está relacionado com a experiência que o seu cliente terá com eles, considerando todos os benefícios que entregam. 

Quando preço e valor não estão alinhados, a tendência é que os seus clientes reclamem do preço alto ou então não se sintam seguros ao comprar devido a um preço muito baixo.

E, para equilibrar esses dois fatores, preço e valor, é preciso ouvir os clientes, através de pesquisas de satisfação. 

   3. Compare com produtos semelhantes da concorrência


Nenhuma empresa está isolada. 

Afinal, por mais que um nicho de atuação seja pequeno e muito restrito, sempre existirão concorrentes, mesmo que indiretos. Por isso, é indispensável comparar os preços que você cobra com o que está sendo praticado no mercado. 

Além disso, é importante verificar também o que os clientes dos seus concorrentes acham dos produtos e serviços que consomem. Uma dica é analisar os comentários nos posts das redes sociais da concorrência. 

No próximo tópico, entenda um pouco mais sobre este assunto. 

Como acompanhar os preços praticados no mercado?

 

  1. Descubra seus concorrentes diretos e indiretos

Os concorrentes diretos são aqueles que comercializam produtos ou serviços do mesmo segmento, como dois salões de beleza com os mesmos serviços. 

Já os indiretos, são as empresas que oferecem algo similar e podem atingir o seu público-alvo. Os restaurantes físicos tradicionais, que oferecem o chamado prato feito (PF) e as pessoas que comercializam marmitas são exemplos de correntes indiretos.

Eles precisam ser mapeados para você dar início a sua análise de preços do mercado. 

   2. Defina os itens a serem pesquisados e centralize os registros em uma só ferramenta


Na hora de realizar a análise de preços dos concorrentes, é importante definir exatamente o que será pesquisado. 

Depois, todos esses registros devem estar centralizados em um lugar só, como uma planilha no excel ou online. Dessa forma, você conseguirá acompanhar a evolução dos preços cobrados pelos concorrentes com o passar do tempo e compará-los com os seus.

Sabia que com a Conta Azul você tem acesso a todos os dados das suas vendas e preços praticados, em tempo real? Para saber mais, clique aqui!

   3. Analise os preços da concorrência periodicamente


Não basta apenas analisar uma única vez os preços da concorrência: é preciso fazer isso sempre, durante o ano inteiro.

Afinal, a economia e comportamento de consumo não são estáticos, o que leva as empresas em geral a adotarem diferentes estratégias que podem impactar os preços. 

3 estratégias de precificação que você precisa conhecer

 

  1. Dobro do custo

O dobro do custo ocorre quando é cobrado por um produto ou serviço o dobro do valor pelo qual ele foi adquirido ou produzido.

Digamos que você vende bolos e, para produzir uma unidade, gasta R$ 20,00. Então, para aplicar a estratégia de precificação do dobro do custo basta vendê-lo por R$ 40,00.

Precificar dessa forma não inclui outros custos e despesas, como tempo de estoque, valor da hora, entrega e por exemplo. 

   2. Markup


O markup é um tipo de precificação que considera, além dos custos de produção, a margem de lucro, despesas e tributos.

A fórmula do markup é:

100 ÷ 100 – (despesas variáveis + despesas fixas + margem de lucro desejada) = preço indicado para se ter a margem de lucro pretendida

Na fórmula, despesas fixas são aquelas que não se não tem relação direta com as vendas e com a produção, como aluguel.  Já as variáveis são o oposto e estão relacionadas ao volume de vendas, como taxas de entrega e comissões. 

   3. Preço psicológico


Você se sente mais atraído por um preço de R$ 9,99 ou R$ 10,00?

Essa variação, geralmente com números ímpares, é o que se chama preço psicológico, onde o cliente tem a impressão de que pagou bem menos, quando, na verdade, a diferença é bem pequena. 

Como-a-analise-de-precos-alavanca-as-vendas-de-fim-de-ano-2

Integre financeiro, fiscal e vendas com a Conta Azul

Verificar o estoque, fazer as compras, atender os clientes, conversar com os colaboradores, postar as ofertas nas redes sociais… ufa! São tantas as tarefas de um dono de negócio que pode ser um verdadeiro desafio fazer a conciliação fiscal, bancária com o financeiro.

Mas, com a Conta Azul, todos esses processos são feitos de forma automática e, com poucos cliques, você pode acompanhá-los de perto, sem se perder no extrato bancário, tentando adivinhar quem pagou o que.

Afinal, com a Conta Azul, o estoque, as vendas e o fluxo de caixa são integrados ao financeiro e à contabilidade e tudo é dado baixa automaticamente.

E, o Receba Fácil, outra solução da Conta Azul, simplifica e centraliza os seus recebimentos e você pode vender online, sem precisar de site e aceitar parcelar em 12 vezes mesmo sem maquininha de cartão de crédito.

Além de tudo isso, a Conta Azul também envia lembretes automáticos com as datas de vencimento dos seus clientes, o que aumenta suas chances de receber em dias. 

Gostou?

Clique aqui e experimente agora todas essas facilidades sem pagar nada!

 

Emita Notas Fiscais de sua empresa dentro de um sistema de gestão para evitar erros

Newsletter

Quer ter acesso a
materiais gratuitos?